Materiais gratuitos

Como evitar riscos de segurança ao liberar a API para os clientes

Confira alguns cuidados que você deve ter ao liberar a API para os consumidores. Como garantir a segurança da sua aplicação?

Por lais
Como_evitar_riscos_de_seguranca_ao_liberar_a_API_para_os_clientes
Tempo de leitura: 3 minutos

Liberar a API para os clientes, ou mantê-la fechada? Essa é uma dúvida enfrentada por algumas empresas que estão desenvolvendo novas aplicações. Por um lado, a liberação da API garante que ela atinja mais pessoas e gere receita. Por outro, ao ficar muito livre, pode trazer problemas de segurança para a empresa e seus clientes.

A verdade é que liberar a API ou não, depende do objetivo da aplicação. Se a sua meta como empresa é ter um grande volume de integrações, abri-la para os clientes é fundamental. Ao permitir que outros desenvolvedores tenham contato com o seu código, eles podem utilizar sua solução dentro das próprias empresas.

O resultado é que a sua aplicação atinge muito mais pessoas e funciona como uma ferramenta para a inovação! Um dev com acesso à sua solução pode criar novas ideias que o seu time de desenvolvimento nem imaginaria. É uma forma da sua empresa ter mais clientes e até da comunidade se beneficiar com a solução.

Leia também: como divulgar a sua API e conseguir mais clientes.

Porém, liberar a API também traz alguns riscos, principalmente de segurança. Existem pessoas mal-intencionadas que vão procurar pequenas brechas na sua solução para conseguir informações tanto da sua empresa quanto dos seus clientes. O seu objetivo na hora de criar e liberar a API é fazer de tudo para que os dados de todos os envolvidos na solução estejam seguros.

Mas, afinal de contas, como garantir a segurança da sua aplicação, mesmo liberando a solução para os clientes? Confira a seguir alguns cuidados que você deve ter ao liberar a API para os consumidores.
segurança no lançamento de uma api

Cuidados que você deve ter ao liberar a API para os consumidores

Autenticação antes da autorização de acesso

Antes de realizar qualquer procedimento com a sua API, o usuário deve se autenticar. Porém, apenas isso não é suficiente para garantir a segurança da sua aplicação. Para controlar, libere o acesso de forma granular.
Dessa maneira, é possível identificar o tipo de conteúdo que cada usuário deve ver e modificar. Isso pode ser feito via CBAC (content-based access control), RBAC (role-based access control) e PBAC (policy-based access control).
O CBAC autoriza ou nega o pedido de acesso de um consumidor baseado no tipo de conteúdo que será enviado.
O RBAC bloqueia determinados conteúdos de acordo com o cargo que a pessoa tem dentro da organização. Isso pode variar de acordo com a autoridade e responsabilidade que cada pessoa tem em relação à integração.
Já o PBAC é uma forma de controle que usa uma política de autorização que varia de acordo com parâmetros pré-estabelecidos, como identidade, cargo, heurística, necessidade operacional, etc.

Encriptação

Para garantir a segurança da sua API, mesmo com ela sendo liberada para o público, é importante prestar atenção na encriptação. Ela pode prevenir ataques do tipo Man in the Middle, (MITM), por exemplo.
Nos ataques MITM, a pessoa mal-intencionada simula a identidade de terceiros, com o objetivo de entrar em contato com as informações compartilhadas. Ao contar com uma encriptação adequada, as chances disso acontecer são menores.

Validação correta de parâmetros

As APIs costumam revelar uma grande parte dos protocolos HTTP. Por conta disso, deixam a parametrização mais vulnerável. Uma maneira de mitigar possíveis ataques é validar todos os dados recebidos, bem como detectar possíveis ameaças.
Ao validar corretamente os parâmetros, é possível inibir tentativas de injection.

Auditar logs

Por fim, uma outra maneira de garantir a segurança mesmo com a liberação da API é contar com o apoio de ferramentas de gerenciamentos de logs. Elas te ajudam a gerar dados de log, bem como identificar possíveis problemas recorrentes. Algumas das mais populares do mercado são a Fluentd, a LogPacker e a Graylog.

As suas APIs são liberadas? Compartilhe com a gente quais são os cuidados que você toma para sempre garantir que elas fiquem seguras!