Materiais gratuitos

Quanto a sua ONG ganharia se fizesse cobranças recorrentes

Use nossa calculadora para ver quanto a sua ONG ganharia com recorrência de pagamento e como gerar esse tipo de cobrança.

Por Time Juno
Quanto_a_sua_ong_ganharia_se_fizesse_cobrancas_recorrentes
Tempo de leitura: 3 minutos

Você já pensou na possibilidade de realizar cobranças recorrentes na sua ONG? A sua instituição tem uma série de projetos legais. Porém, para que eles saiam do papel e atinjam o maior número de pessoas, sua empresa do terceiro setor precisa de dinheiro no banco. Uma boa maneira de garantir que a quantia financeira necessária entre todos os meses na sua conta é justamente com doações recorrentes.

Como o nome já diz, cobranças recorrentes são aquelas doações que caem todos os meses na conta da sua ONG. Elas são feitas por doadores que acreditam no seu projeto e que estão dispostos a bancar a sua iniciativa por um longo prazo.

Além de trazerem segurança de dinheiro frequente na conta, as cobranças recorrentes são ótimas para manter os doadores próximos da sua ONG. De acordo com um estudo realizado pela The Fundraising Effectiveness Project em 2015, 63% dos doadores que se comprometem a ceder dinheiro com recorrência permanecem como parceiros das instituições. Já dos doadores esporádicos, apenas 19% voltam a fazer uma nova transferência.
Quer ter uma ideia de quanto a sua ONG ganharia se fizesse cobranças recorrentes? Então confira abaixo a calculadora que preparamos, com simulações de doações mensais.

Você viu que a cobrança recorrente é interessante para a sua instituição social e quer adotar essa prática?  A seguir, compartilhamos algumas estratégias para tornar essas doações mensais mais interessantes.

Estratégias para tornar a cobrança recorrente mais interessante

Comunique o valor de uma forma criativa

Na hora de apresentar o valor da doação recorrente que você pretende captar, fuja do tradicional “preço cheio”. Em vez de dizer que a doação é de R$30 por mês, invista numa comunicação que fala que com apenas R$1 por dia, a pessoa estará ajudando uma causa social.

Se o valor for mais alto, você pode comparar com outras compras. Por exemplo: “deixe de jantar fora uma vez por mês e ajude a nossa instituição”. Compartilhar um número não traz significado real para o doador e consequentemente não chama a sua atenção. É interessante que ele consiga mensurar que algo muito simples do seu dia a dia (como uma moedinha) pode trazer um retorno imenso para a sociedade.

Descreva o que o dinheiro doado vai comprar

Muitas pessoas deixam de doar por não terem certeza de para onde essa quantia está sendo destinada. Para conseguir convencer uma pessoa a fazer doação recorrente, deixe claro qual será o fim do dinheiro.

Por exemplo: esses 30 reais que você está doando vão prover 20 refeições para crianças em situação de risco.

A pessoa consegue imaginar esse prato de comida e sentir empatia pelas crianças.

Dê algo em troca

Uma transação comercial normal funciona da seguinte maneira: uma pessoa paga um valor e recebe algo palpável em troca. Um problema das doações para ONGs é que, em geral, os doadores não recebem nada em troca. O dinheiro entra, é direcionado para quem precisa e o doador fica com as mãos vazias.

Para que a doação recorrente na sua ONG funcione adequadamente, procure oferecer algo em troca, pelo menos na primeira doação. Pode ser um adesivo, caneta ou até mesmo um material virtual, como um certificado de parceiro da causa, ou um relatório das ações que estão sendo realizadas. Essas opções digitais, inclusive, são ótimas, pois custam pouco ou quase nada para serem feitas. O importante é que ela receba algo. Isso faz com que a transação tenha mais seriedade.

Ofereça meios de pagamento fáceis

As doações recorrentes só vão funcionar se a sua ONG contar com um processo de pagamento fácil para o doador. Uma excelente alternativa para esse tipo de cobrança no terceiro setor é o boleto bancário. Além de ser fácil de emitir, essa ferramenta não compromete o crédito do doador (às vezes, ele pode fazer uma compra muito grande no cartão de crédito, que usa todo o seu limite. Na hora que a cobrança da sua instituição chegar, acabará sendo negada, o que é péssimo para todos os envolvidos).

Uma boa ferramenta para emitir essas faturas é a Juno. Com ela, você pode criar cobranças recorrentes para a sua ONG com facilidade.
Conheça a Juno!