Tecnologia

Tudo sobre as Chaves Pix

Para que os pagamentos instantâneos do novo sistema do Banco Central aconteçam, o usuário vai contar com Chaves Pix. Saiba o que são e como funcionam essas tais chaves!

PIX imagem descritiva
Tempo de leitura: 4 minutos

Para escutar este conteúdo na íntegra você só precisa dar o play! 😉

Depois da divulgação sobre o Pix, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, a nova forma de realizar operações bancárias no Brasil tem dado o que falar, mesmo antes do seu lançamento oficial – previsto para o dia 16 de novembro de 2020.  A partir desta data, as transações vão ser realizadas em até 10 segundos, 24h por dia, todos os dias da semana!

Leia também: Conheça o Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central

A velocidade e disponibilidade nas operações bancárias não são os únicos diferenciais que o Pix vai trazer para a rotina diária dos usuários. Além de possibilitar transações em apenas segundos, o custo por cada uma delas será de centavos. 

Até então, as transferências entre contas bancárias sempre foram feitas por meio de TEDs e DOCs. E os pagamentos de contas realizados via boleto bancário, cartões, transações físicas ou até mesmo com dinheiro vivo.

Algumas dessas operações bancárias podem levar dias para serem realizadas e ainda podem acarretar custos para os usuários. Em bancos tradicionais, por exemplo, uma TED pode custar entre R$ 8,00 e R$ 16,00. E é justamente nesses fatores que o Pix veio para fazer toda a diferença. 

Outro ponto que faz com que o lançamento do Pix seja tão aguardado é sua utilidade no pagamento de contas comuns do dia a dia dos consumidores, bem como em transferências para terceiros. Mas como funcionam esses pagamentos? De que forma será possível utilizar a conta bancária que você já possui para fazer transações com o Pix? 

Leia também: O que muda com o Pix, o novo sistema de pagamentos do Banco Central?

Para realizar as transações do sistema Pix, vai ser preciso que tanto quem envia o dinheiro quanto quem recebe tenha uma conta, não necessariamente corrente, em um banco, uma instituição de pagamento ou em uma fintech. E vai ser por meio das Chaves Pix que o Banco Central vai reconhecer a conta do usuário no banco e validar suas transações bancárias.

Como o Pix vai funcionar?

Quando o Banco Central garante que as transações bancárias do Pix vão ser instantâneas, não é apenas força de expressão: a partir do sistema novo, transferir valores e pagar contas serão processos feitos em apenas alguns segundos, no esquema 24/7/365. Os clientes não precisam mais se programar para fazer operações em dias úteis ou se preocupar com o horário em que os bancos operam. 

Mas para quem é possível transferir? 

  • P2P (de pessoa a pessoa);
  • P2B (de pessoa para empresas);
  • B2B (de empresa para empresa);
  • P2G (de pessoa para governo);
  • B2G (de empresa para governo);
  • G2P (de governo para pessoa);
  • G2B (de governo para empresa).
PIX imagem descritiva

Chaves Pix

Com transações bancárias muito mais baratas e realizadas de forma muito  mais rápida, o Pix veio para facilitar a vida tanto do consumidor final quanto de negócios. Na prática, todo mundo que possui uma conta corrente vai poder utilizar o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central a partir de novembro. 

No novo sistema de pagamentos do Banco Central, tudo começa pelas Chaves Pix, que são a nova forma de identificar endereços bancários. Por meio dessas chaves, o Bacen reconhece sua conta no banco e valida suas transações bancárias. Mas o que são essas chaves e como isso funciona? São dados como telefone, e-mail ou CPF/CNPJ, que ficam vinculados aos seus dados bancários. Tudo isso fica registrado no DICT (Diretório de Contas Transacionais).

Como funciona: 

1. O usuário acessa o aplicativo da instituição onde tem conta e clica na opção de pagamento instantâneo;

2. Define se será pagamento ou recebimento;

3. Ao definir pagamento, seleciona o tipo de chave para identificar o recebedor;

4. A seleção da chave retorna os dados do recebedor. O usuário insere valor e senha* e confirma o pagamento;

5. As informações da transação são confirmadas tanto para o pagador como para o recebedor;

As transações via Pix acontecem por meio de QR Codes Estáticos e Dinâmicos:

QR Code estático 

Esse tipo de QR Code pode ser utilizado em mais de uma transação, isso significa que pode estar impresso no PDV (Ponto de Venda), ser utilizado para dividir o valor de uma pizza entre amigos. Em outras palavras, ele é o tipo de código ideal para compartilhar, com segurança, dados bancários para realizar transferências. 

QR Code dinâmico 

O QR Code dinâmico, por sua vez, desempenha a função de uma cobrança mais formal, de um modo geral associada a um boleto. É o tipo de código que vai ser muito utilizado para realizar pagamentos ou cobranças em e-commerces, por exemplo. 

O Pix também oferece a possibilidade de inserir informações manuais para direcionar um pagamento, utilizando as mesmas chaves registradas no DICT – e-mail, CPF/CNPJ ou telefone – para determinar o destinatário de uma transação.

Outra opção é a Chave Aleatória, que é o endereço virtual de pagamento, e é uma forma de manter a privacidade do cliente no uso do QR Code estático. Ele funciona a partir de um número hexadecimal com 32 caracteres, e é gerado de forma aleatória e exclusiva pelo DICT.

A partir das Chaves Pix, as transações vão acontecer em questão de segundos para o usuário, que pode se cadastrar tanto como pessoa física, a partir do seu CPF, telefone ou e-mail, da mesma forma que mostramos acima, ou registrar um negócio por meio do seu CNPJ. O Pix é pra todo mundo, mesmo! 

Em breve, a Juno vai estar com o sistema instantâneo de pagamentos do BACEN disponível em nossa plataforma. A gente tá ansioso por aqui e você? ;D

Quer saber mais sobre o Pix e como ele vai funcionar na Juno?

Preencha o formulário abaixo e a nossa equipe entrará em contato!

Quer continuar essa conversa? Fale com a gente pelas nossas redes sociais @tamojuno 🤟