Tecnologia

O que é um banco digital?

Bancos digitais vieram para mudar completamente o cenário das instituições financeiras tradicionais. Sem precisar contar com uma estrutura física, esse tipo de banco mantém suas operações totalmente online. Saiba mais!

Banco digital imagem descritiva
Tempo de leitura: 4 minutos

Até recentemente, movimentar o dinheiro só era possível por meio de bancos tradicionais. Isso quer dizer que desde realizar transferências, pagar contas, guardar dinheiro, fazer investimentos e até mesmo receber o salário acontecia apenas na ponta mais convencional das instituições financeiras. 

De acordo com o Banco Central, 40% da população brasileira economicamente ativa ainda não possui conta em bancos, justamente por conta de excessos de processos burocráticos e alta regulamentação, além de taxas elevadas. 

Esse cenário mudou completamente com a chegada dos bancos digitais, com os quais se tornou possível ter o controle das finanças sem precisar lidar com a burocracia dos bancos tradicionais e mais do que isso: sem a necessidade de sair de casa para resolver pendências financeiras. 

A facilidade que os bancos digitais oferecem virou o jogo para instituições financeiras – que passaram a entender que um banco, em primeiro lugar, não precisa ser um espaço físico para oferecer os serviços financeiros que o usuário já está habituado.

Sem essas barreiras, parte da população que antes era desbancarizada, passa a utilizar esse tipo serviço.

Nesse post você fica sabendo um pouco mais sobre o que são os tais bancos digitais, como eles funcionam e suas principais vantagens. Vem com a gente!

Banco digital imagem descritiva

O que são bancos digitais?

O primeiro banco realmente digital, sem que apenas fosse criada uma conta conta digital, surgiu no Brasil em 2015 e, desde então, a forma de pensar em serviços bancários ganhou outra dinâmica.

Se antes uma parcela da população não se sentia contemplada pelos serviços bancários tradicionais, a chegada dos bancos digitais mudou a forma como a banda toca. É o que mostra uma pesquisa realizada em 2019 pela Febraban (Federação Brasileiras dos Bancos), que nos últimos 3 anos, o surgimento de bancos desse tipo triplicou e o volume de transações bancárias via dispositivos móveis quadruplicou. Esse estudo mostra uma mudança de comportamento dos consumidores.

Mas o que é um banco digital, afinal? De forma simples, são instituições financeiras inteiramente online. Isso quer dizer que esse tipo de banco não tem uma estrutura física, como uma agência por exemplo. 

Outra característica própria dos bancos digitais é praticamente tudo que o cliente precisa pode ser feito pela internet. Desde a abertura da conta bancária ao SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), tudo que o usuário precisar pode ser resolvido por meio de atendimento online, via computador ou aplicativo.

Esse diferencial possibilita que os bancos digitais ofereçam serviços bancários a um preço muito mais conta do que bancos tradicionais. Eles estão inseridos no cenário das fintechs, empresas que contam com tecnologia para movimentar o mercado financeiro.

Alguns bancos digitais, depois do seu lançamento, até ganharam formatos físicos e expandiram seu portfólio de produtos. Mas é importante lembrar que que banco digital é muito diferente de banco digitalizado. O segundo caso acontece quando um banco tradicional passa a oferecer seus serviços por internet banking e apps. No entanto, os clientes ainda precisam ir até as agências para boa parte das operações, inclusive para desbloquear o aplicativo toda vez que mudar de aparelho. 

Mas não é porque um banco está online que isso faz dele um banco digital. Bancos digitais são, por definição, aqueles que nasceram online e mantém operação inteiramente virtual. 

Que serviços um banco digital oferece?

A variedade de serviços oferecida pode variar um pouco entre cada instituição financeira, mas os mais comuns entre elas são: 

  • Conta digital;
  • Cartão de crédito;
  • Cartão de débito;
  • Empréstimo;
  • Conta pessoa jurídica.

Apesar dos serviços oferecidos serem muito parecidos com os de um banco tradicional, vale lembrar que tudo isso é realizado online, sem a necessidade de ir até uma agência para abrir a conta, realizar transferências, pagar boletos ou até mesmo fazer alterações cadastrais. Tudo acontece online. 

O que levar em consideração na hora de escolher um banco digital

Ainda que a definição de banco digital seja a mesma, cada instituição financeira oferece serviços diferenciados, com preços variados e até mesmo formas de atendimento que podem ser determinantes na hora fazer essa importante escolha. Separamos algumas dicas que podem ajudar no momento de decidir qual banco digital utilizar. Confira:

  • Verificar tudo que o banco digital oferece: pacotes de serviços e vantagens que façam sentido para as necessidades de cada usuário;
  • Conferir os valores das taxas cobradas;
  • Checar a nota do app do banco na App Store e Google Store, pois a maior parte das operações vai acontecer por meio do aplicativo; 
  • Olhar como anda a avaliação do banco em sites como o Reclame Aqui

Bancos digitais são seguros?

O Banco Central é responsável por regular as fintechs brasileiras que oferecem conta digital,  cartão de crédito, empréstimo e outros serviços financeiros, da mesma maneira que fiscaliza os bancos tradicionais do país. 

Isso quer dizer que, para continuar operando legalmente, os bancos digitais precisam seguir regras específicas. Em abril de 2019, o CMN (Conselho Monetário Nacional) anunciou novas regras de segurança para instituições financeiras operarem na internet. 

De acordo com a Resolução nº 4658, essas instituições financeiras necessitam de uma política de segurança cibernética, além de definir requisitos específicos para a contratação de serviços de processamento e armazenamento de dados e de computação em nuvem. Essa medida surgiu como uma maneira de trazer ainda mais segurança aos usuários. 

Leia também: Como garantir a segurança dos dados financeiros dos seus clientes

Os bancos digitais aproximam os usuários dos serviços financeiros de forma descomplicada e sem burocracia, quebrando o paradigma de que instituições financeiras precisam ser sempre tradicionais. Esse formato tem ganhado cada vez mais espaço entre os brasileiros e promete um alto nível de competitividade no mercado daqui pra frente.

Quer continuar essa conversa? Fale com a gente pelas nossas redes sociais @tamojuno 🤟