Materiais gratuitos

Novo sistema de boletos: muito além da obrigatoriedade do registro

Você já leu aqui no nosso blog que desde 2017 um novo sistema tornou obrigatório o registro de boletos. Essa notícia foi muito comentada em diversos portais. Porém, pouca gente fala os motivos para o boleto sem registro ser deixado de lado e quais mudanças que realmente ocorreram no sistema bancário. Chegou a hora de […]

Por lais
Novo_sistema_de_boletos_muito_alem_da_obrigatoriedade_do_registro
Tempo de leitura: 3 minutos

Você já leu aqui no nosso blog que desde 2017 um novo sistema tornou obrigatório o registro de boletos. Essa notícia foi muito comentada em diversos portais. Porém, pouca gente fala os motivos para o boleto sem registro ser deixado de lado e quais mudanças que realmente ocorreram no sistema bancário. Chegou a hora de você entender melhor esses detalhes.

Por que o boleto sem registro deixou de existir?

O principal motivo da obrigatoriedade do boleto registrado é para que fraudes fossem evitadas. Para você ter ideia, apenas em 2014 o número de golpes envolvendo boletos atingiu quase R$ 9 bilhões em prejuízos para os bancos e clientes. Esse golpe consistia em modificar os números dos boletos legítimos e desviar os valores para as contas bancárias dos fraudadores. A solução para evitar esses problemas foi melhorar ainda mais o boleto registrado — que já existe há décadas.

Qual é o cenário atual do novo sistema de boletos?

Antigamente, as informações registradas no boleto eram repassadas ao banco emissor e apenas essa instituição tinha conhecimento da fatura. Por conta disso, só ele era autorizado a receber os pagamentos após o vencimento. Enquanto o boleto estiver em dia, pode ser pago em qualquer banco. Isso acontecia justamente porque as outras instituições financeiras não tinham como validar as informações. E nem calcular multas, juros e descontos, por exemplo.
O registro do boleto é feito por meio de arquivos de remessa. Os mesmos são processados pelos bancos na madrugada do dia útil seguinte ao envio. Dessa maneira, o cliente só podia realizar os pagamentos no próprio banco emissor depois que esse registro era computado. Esse processo só pode ser realizado quando o arquivo de remessa é finalizado e enviado ao banco. Por questões técnicas ocorre apenas na madrugada seguinte. O curioso é que os outros bancos, por não saberem da existência desse boleto, acabam sendo obrigados a aceitá-lo, assim como com os boletos sem registro.
Todos os pagamentos são processados pelas instituições na madrugada do dia útil seguinte ao pagamento e enviados aos respectivos bancos emissores. Os bancos acabam tendo um custo para cada registro de boleto — seja ele pago ou não — assim como custos para alterações e compensações. O novo sistema de boletos registrados facilitou e agilizou todo esse processo — tanto para os bancos quanto para os clientes.

O que mudou no boleto registrado?

Para que todos os bancos tenham informações claras a respeito dos boletos, a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), em conjunto com a rede bancária, desenvolveu um novo sistema de boletos com armazenamento de informações de boletos e pagamentos. No momento em que o boleto é registrado pelo banco emissor, todas as informações são encaminhadas para essa nova CIP. A CIP é a Câmara Interbancária de Pagamentos, que também é conhecida como Base Centralizada.
Essa é uma facilidade e tanto pois, por conta dessa Base Centralizada, todas as instituições podem consultar as informações dos boletos a qualquer momento. Isso faz com que a fatura possa ser paga em qualquer banco, inclusive após o vencimento (já que todos eles terão as informações necessárias para calcular multas, juros e descontos).
Informar o CPF ou CNPJ do cliente. Também conhecido como pagador, no meio bancário — é obrigatório a cada emissão de boleto. Dessa maneira, os bancos podem consultar a Base Centralizada e garantir que o boleto apresentado é verdadeiro. Caso ele não esteja registrado, o pagamento não é permitido.
Além de trazer segurança, a Base Centralizada também garante rapidez. Os pagamentos podem ser confirmados pelo emissor em questão de minutos!
As empresas que precisam disponibilizar o boleto para o cliente no momento em que ele fecha a compra necessitam de um registro online. Por enquanto, os bancos estão trabalhando para criar soluções de registro online. Essas soluções devem ser disponibilizadas apenas para os grandes clientes.

Se você ou seu negócio ainda não se encaixa nessa categoria, fique tranquilo. Nós, da JUNO, garantimos que todos os seus boletos sejam registrados instantaneamente.

Caso você já seja cliente da JUNO, saiba que todas essas mudanças ocorreram de maneira transparente, sem necessidade de mudanças no seu processo de vendas e sem custos adicionais! Se ainda não é cliente e precisa emitir boletos para seu negócio, vem conhecer a gente!