Materiais gratuitos

Quais são os impostos que as pequenas empresas devem pagar?

Manter a própria empresa exige mais do que conhecimento sobre o seu ramo de atuação.É preciso entender um pouco sobre impostos e questões do setor administrativo, contábil e jurídico do empreendimento. Assim, você mantém tudo de acordo com a legislação e não é pego de surpresa. Entre os termos fundamentais para os empreendedores estão os […]

Por lais
Quais_sao_os_impostos_que_as_pequenas_empresas_devem_pagar
Tempo de leitura: 2 minutos

Manter a própria empresa exige mais do que conhecimento sobre o seu ramo de atuação.É preciso entender um pouco sobre impostos e questões do setor administrativo, contábil e jurídico do empreendimento. Assim, você mantém tudo de acordo com a legislação e não é pego de surpresa.
Entre os termos fundamentais para os empreendedores estão os impostos para pequenas empresas. Eles possuem diferentes alíquotas e se ajustam a cada regime tributário. Preparamos esse post para você entender melhor o que está pagando e controlar melhor as finanças do seu negócio.

Quais são os impostos das pequenas empresas?

IRPJ: Imposto de Renda Pessoa Jurídica

Esse imposto é calculado de acordo com o faturamento. Possui uma alíquota de 15% sobre o lucro real, presumido ou arbitrado. No regime tributário do Simples Nacional, esse valor varia de 0,00% e 0,54% (para comércio ou indústria) até 0,81% (para prestadores de serviços).

Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Sua empresa produz ou importa algum tipo de produto? Então, você também vai precisar lidar com o IPI, calculado de acordo com o preço de venda e que tem, como fator gerador, o desembaraço aduaneiro ou a sua saída do estabelecimento industrial. A TIPI –  como é chamada a tabela do IPI –  traz os valores atualizados desse tributo.

Imposto Sobre Serviços (ISS)

Tributo municipal, o ISS é calculado sobre o valor do serviço prestado. As regras variam conforme o município, mas a alíquota, em geral,varia entre 2% e 5%, dependendo do tipo de serviço prestado. Ela é mais baixa para quem utiliza o Simples Nacional e deve ser paga, também, por profissionais autônomos, de acordo com a legislação da cidade.

Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep)

Essas contribuições federais são apuradas mensalmente, de acordo com o valor do faturamento ou da folha de pagamento. A porcentagem se adequa, sempre, à atividade exercida pela sua empresa.

Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS)

O recolhimento deste tributo federal é voltado aos fundos de previdência, assistência social e saúde pública. É um dos cálculos mais trabalhosos, já que a alíquota varia de acordo com o regime tributário e a incidência cumulativa, podendo ir de 3% a 7,6%.

Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)

Esse tributo estadual é cobrado sempre que acontece alguma movimentação de produtos na empresa. As alíquotas variam entre 7% e 18%, mas optantes do Simples Nacional pagam entre 1,25% e 3,95% nos setores de comércio e indústria.

CSLL: Contribuição Social sobre o Lucro Líquido

É o valor pago à seguridade social, calculada conforme o regime de tributação escolhido para o recolhimento do IRPJ. Nesse caso, a alíquota é de até 9%.

Contribuição Previdenciária Patronal (CPP)

Também voltado à seguridade social, esse tributo possui alíquota de 20%, calculada de acordo com a sua folha de pagamento. No Simples Nacional, o valor é embutido na DAS e fica entre 2,75% e 4,6% (comércio e indústria) e de 4% a 7,83% para o setor de serviços.
Ao calcular esses valores, é indispensável conversar com um contador, manter o fluxo de caixa em dia e ter contas bem organizadas. E, para controlar os pagamentos, contribuições, histórico dos seus clientes e não deixar a folha de pagamento ou recebimento no vermelho, conte com os serviços da JUNO.
Agora que você já sabe os impostos da sua empresa, descubra quais são os 10 erros de gestão que a sua empresa não pode cometer.