Meu negócio

Glossário de finanças

Se manter aquecido no mercado empresarial é um desafio que envolve muito mais do que apenas experiência. É preciso ter na ponta da língua o conhecimento necessário para sair na frente. Confira nosso glossário de finanças!

Glossário financeiro imagem descritiva
Tempo de leitura: 18 minutos

Se destacar no meio empresarial é um desafio cada vez mais acirrado, pois empresas fecham suas portas com uma frequência muito maior do que as mantém aberta. Muito disso é explicado por tempo de mercado, experiência e traquejo no setor em que o negócio está inserido. 

Mas outra forma de garantir que sua empresa ganhe destaque em meio à concorrência é por meio do conhecimento aprofundado do mercado financeiro. Para isso, criamos um verdadeiro glossário de finanças para que você e o seu negócio saiam na frente. Vem conferir!

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | X | Y | W | Z

Glossário financeiro imagem descritiva

Glossário financeiro

A

Adquirentes

As adquirentes são empresas responsáveis por liquidar transações financeiras por meio de cartões de crédito e débito. Para que seja possível processar essas operações, as adquirentes estabelecem comunicação com as operadoras de cartão e bancos emissores.

Depois que a compra efetuada é aprovada, a empresa adquirente fica encarregada de receber o dinheiro do banco credenciado e repassar ao lojista no prazo previsto em contrato, que geralmente é em até 31 dias.

Se o dono do e-commerce desejar ter um relacionamento direto com a adquirente, é necessário realizar um cadastro na empresa e seguir todas as regras estabelecidas por ela. Umas das grandes vantagens que esse modelo de pagamento oferece é que o custo por transação pode ser menor de acordo com a negociação realizada, o que significa que o lojista pode aumentar a lucratividade em cada venda.

Vale lembrar que as adquirentes possibilitam uma ligação sem intermediários entre o e-commerce e o banco e para garantir transações mais seguras e menos vulneráveis, é importante que o lojista contrate soluções antifraude para o seu negócio.

Antecipação de recebíveis

É o recurso que possibilita que a empresa adiante o recebimento de valores que só entrariam no saldo futuramente.

Esse adiantamento permite que o gestor receba dinheiro referente a vendas realizadas a prazo, parceladas ou por carnês antes mesmo que a cobrança seja efetuada. Os valores desse tipo de recurso são embolsados pela empresa de uma vez só.

Ativos

Ativos são os bens e direitos de uma empresa. É tudo que compõe o patrimônio do negócio e que pode ser convertido em dinheiro, se colocado à venda. É possível citar equipamentos, terrenos e até mesmo direitos autorais e a própria marca como exemplos.

B

B2B

B2B é a sigla para a expressão em inglês business-to-business, que na tradução para a língua portuguesa significa de negócios para negócios. Na prática, o termo quer dizer empresas realizando transações comerciais com outras empresas.

B2C

B2C, por sua vez, é a sigla para expressão também em inglês business-to-customer e em sua tradução significa de negócios para consumidores. Em termo práticos, a expressão é utilizada quando negócios realizam transações comerciais para consumidores.

Banco Central do Brasil

Também chamado de Bacen, BC ou BCB, o Banco Central é a instituição responsável por garantir a estabilidade econômica do país, por meio da manutenção do poder de compra da moeda e da regulação do sistema financeiro, e é também uma autarquia autônoma, ou seja, uma entidade que exerce suas funções com autonomia, sem subordinação a outro órgão do poder público.

Banco digital

São instituições financeiras inteiramente online. Isso quer dizer que esse tipo de banco não tem uma estrutura física, como uma agência por exemplo. 

Outra característica própria dos bancos digitais é que praticamente tudo que o cliente precisa pode ser feito pela internet. Desde a abertura da conta bancária ao SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), tudo que o usuário precisar pode ser resolvido por meio de atendimento online, via computador ou aplicativo.

Esse diferencial possibilita que os bancos digitais ofereçam serviços bancários a um preço muito mais conta do que bancos tradicionais. Eles estão inseridos no cenário das fintechs, empresas que contam com tecnologia para movimentar o mercado financeiro.

Alguns bancos digitais, depois do seu lançamento, até ganharam formatos físicos e expandiram seu portfólio de produtos. Mas é importante lembrar que que banco digital é muito diferente de banco digitalizado. O segundo caso acontece quando um banco tradicional passa a oferecer seus serviços por internet banking e apps. No entanto, os clientes ainda precisam ir até as agências para boa parte das operações, inclusive para desbloquear o aplicativo toda vez que mudar de aparelho. 

Não é porque um banco está online que isso faz dele um banco digital. Bancos digitais são, por definição, aqueles que nasceram online e mantém operação inteiramente virtual. 

Leia também: O que é um banco digital?

Bandeiras de cartão de crédito

Bandeiras de cartão como American Express, Mastercard e Visa, são os órgãos reguladores que definem as regras do mercado de cartão de crédito. Essas normas giram em torno da quantidade de parcelas em que é possível dividir um pagamento e também estabelecimentos em que cada bandeira é aceita, nacional e internacionalmente. 

Na hora de fechar a venda, a adquirente utilizada pelo vendedor faz a comunicação com a operadora de cartão, que por sua vez, entra em contato com o emissor, que então responde com a autorização da transação financeira. Nesse sentido, a bandeira de cartão tem a função de regular a utilização dos cartões, além de fazer uma ponte entre a adquirente e o banco do cliente.

Leia também: O que são as bandeiras de cartão de crédito?

Banking as a Service

Mais conhecido por sua sigla BaaS, a expressão traduzida do inglês significa Banco como Serviço, mas o que isso quer dizer na prática? A tendência crescente do modelo de negócios ‘as a Service’ mostra uma mudança no perfil do empresário, que busca soluções diferenciadas e personalizadas ao seu negócio.

No contexto dos serviços financeiros, esse cenário não é diferente e o BaaS surge como uma solução para que negócios possam oferecer esse tipo de serviço aos seus clientes, sem que sejam bancos tradicionais. Isso torna o processo muito mais dinâmico, descomplicado e sem burocracia.

E como isso funciona?

Plataformas de serviços financeiros, geralmente fintechs como a Juno, disponibilizam sua API para que empresas possam integrar seus sistemas e oferecer soluções financeiras para seus clientes como se fossem um banco, mas de forma muito mais otimizada e digital.

Leia também: O que é Banking as a Service?

Boleto

O boleto é a opção mais popular entre o consumidor brasileiro, principalmente para a parcela da população que é desbancarizada, ou seja, aqueles que não possuem conta em um banco.

Simples e prática, essa forma de pagamento pode ser efetuada em bancos, caixas eletrônicos, farmácias, lotéricas, Internet Banking e até mesmo por meio de um smartphone ou tablet. Além da versão tradicional impressa, existe ainda o boleto online, que pode ser pago por meio da linha digitável.

C

Capital de giro

O capital de giro é o valor necessário em caixa para pagar toda a operação do negócio até que os clientes efetuem o pagamento das compras realizadas. O prazo de recebimento dos clientes afeta diretamente a necessidade de capital de giro do negócio.

Leia também: Precisando de capital de giro?

Carnê

De forma simples, o carnê é um conjunto de boletos emitidos para pagamentos de vendas parceladas. Esse meio de pagamento é muito utilizado por empresas que prestam serviços recorrentes, como escolas e faculdades, condomínios, academias, etc.

Nesse sentido, o carnê se mostra uma forma de pagamento que auxilia o empreendedor na manutenção de uma renda mensal fixa.

Assim como no boleto, também é possível acrescentar juros e multa. Outra vantagem é possibilitar ao cliente o parcelamento de valores altos, divididos entre o número de meses correspondentes

Chaves Pix

No novo sistema de pagamentos do Banco Central, as Chaves Pix são a nova forma de identificar endereços bancários.

Por meio dessas chaves, o Bacen reconhece sua conta no banco e valida suas transações bancárias.

Mas o que são essas chaves e como isso funciona? São dados como telefone, e-mail ou CPF/CNPJ, que ficam vinculados aos seus dados bancários. Tudo isso fica registrado no DICT (Diretório de Contas Transacionais).

Como funciona: 

1. O usuário acessa o aplicativo da instituição onde tem conta e clica na opção de pagamento instantâneo;

2. Define se será pagamento ou recebimento;

3. Ao definir pagamento, seleciona o tipo de chave para identificar o recebedor;

4. A seleção da chave retorna os dados do recebedor. O usuário insere valor e senha* e confirma o pagamento;

5. As informações da transação são confirmadas tanto para o pagador como para o recebedor;

Leia também: Tudo sobre as Chaves Pix

Churn rate

Churn rate significa taxa de cancelamento na tradução do inglês e é justamente a métrica que indica a quantidade percentual de clientes que deixou de usar os serviços ou adquirir os produtos da sua empresa em um determinado período, que pode ser por dia, mês ou ano. 

Leia também: O que é churn e como reduzir esse indicador na sua empresa

Ciclo econômico

É o ciclo que começa na aquisição da matéria prima e termina na venda, contando com o período de estocagem.

Ciclo financeiro

Também chamado de ciclo de caixa, é o tempo entre o pagamento dos fornecedores do negócio e recebimento dos clientes, ou seja, o período de tempo em que o dinheiro sai do caixa como despesa e entra no caixa novamente como faturamento.

Ciclo operacional

Esse ciclo envolve o tempo que demora entre a data de compra de insumos e a data em que os seu clientes efetuam o pagamento pelas mercadorias. No caso de vendas à vista, esse ciclo é o mesmo que o ciclo econômico, mas se as vendas são parceladas, o tempo para receber será maior.

Conta digital

O que diferencia as contas digitais das tradicionais é que todas as suas operações e movimentações acontecem de forma virtual, sem que precise existir o intermédio de uma agência bancária ou caixa eletrônico. 

Isso significa que todo o contato do cliente com a conta é feito pela internet, desde a abertura, transferências e pagamentos, até mesmo utilizar o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) e fechar a conta, tudo isso por meio de um site ou app.

As contas digitais se tornaram alternativas muito menos burocráticas para os usuários, oferecendo a possibilidade de abrir e operar uma conta de qualquer lugar, a partir de um dispositivo móvel como um smartphone, por exemplo.

Outro fator que torna esse tipo de conta tão popular é que, em sua maioria, elas disponibilizam tarifas mais baixas do que as oferecidas por contas tradicionais, justamente por operar em um sistema totalmente online.

Esse cenário promissor fez os bancos tradicionais adaptarem às habituais contas correntes à versões digitais. Isso significa que, atualmente, quase todas as instituições financeiras oferecem contas neste formato. Mas vale lembrar que para uma conta ser considerada realmente digital no mercado financeiro é necessário que todos os seus processos aconteçam online.

Duas características que são comuns a uma grande parcela das contas digitais são os aplicativos e também o fato de não existir taxa para abri-las ou mesmo mensalidade. Ainda que esse seja o caso para a maioria dessas contas, não é uma regra de funcionamento. As contas digitais podem funcionar por meio de sites e oferecer tarifas mais competitivas as seus clientes.

Leia também: O que é uma conta digital?

Conta corrente

As contas tradicionais são mais conhecidas no mercado pelo nome de conta corrente. Elas servem para que o usuário movimente o seu dinheiro no dia a dia de diversas formas, como por meio de transferências, saques, depósitos e até mesmo investimentos. 

Esse tipo de conta pode ser gratuito ou então apresentar as chamadas taxas de manutenção, isso vai depender da instituição financeira que as oferece. Outro fator importante é que ela pode ser tanto individual quanto conjunta.

Para abrir uma conta dessas o cliente precisa necessariamente se deslocar à uma agência bancária e levar fisicamente uma série de documentos. 

Isso é só o processo de abertura da conta, quase todas as transações e operações vinculadas a esse tipo de conta vai exigir esse tipo de deslocamento, ainda que a maioria das instituições conte com Internet Banking, o que permite que o cliente realize algumas das operações online – mas isso não a torna uma conta digital propriamente dita.

Com uma conta corrente é possível:

  • Utilizar o Internet Banking para checar extrato, transferir dinheiro e pagar boletos;
  • Ir até uma agência local ou caixa eletrônico quando for realizar saques e depósitos;
  • Contar com um app na maioria das instituições, que fica vinculado à agência e sujeito ao desbloqueio na mesma toda vez que o usuário trocar de aparelho;
  • Fazer compras com um cartão de crédito ou débito;
  • Utilizar cheques.

Conta de pagamento 

A conta de pagamento é muito parecida com uma conta bancária. Com ela é possível realizar saques, fazer pagamentos de contas e outras transações como transferências. A grande diferença entre elas é que a conta de pagamento não faz operação de crédito, ou seja, o titular não tem acesso por meio dela a financiamento ou empréstimos, por exemplo.

Conta salário

A conta salário, por sua vez, é um tipo de conta aberta por iniciativa e solicitação de um empregador para efetuar o pagamento de salários aos seus colaboradores, de acordo com a definição do Banco Central. Apenas a figura do empregador consegue realizar depósitos nessa conta.

Contas a pagar

Contas a pagar são as obrigações financeiras que uma empresa assume com seus fornecedores. É um tipo de conta na qual ficam registrados os compromissos financeiros a serem liquidados como fornecedores ou impostos.

Contas a receber

É o tipo de conta na qual são registradas as entradas e as baixas das vendas de uma empresa. Relacionados com a venda de conceitos diferentes de produtos ou serviços. Esta conta é composta por letras de câmbio, títulos de crédito e promissórias a favor da empresa, por exemplo. 

Na aba Extrato da sua Conta Juno, você consegue visualizar as entradas e saídas financeiras da sua empresa, bem como as vendas a receber. 

Custo fixo

Os custos fixos representam gastos que permanecem constantes, independente do quanto a empresa produziu ou vendeu e fazem parte da estrutura do negócio. Alguns exemplos desse tipo de custo em uma empresa:

  • Contas de luz e água;
  • Salário dos funcionários;
  • Aluguel;
  • Materiais de limpeza.

Custo variável

Esse tipo de custo varia diretamente de acordo com a quantidade que a empresa produz ou vende, de forma proporcional.

Custos diretos

Os custos diretos são destinados diretamente para a fabricação ou viabilização do produto vendido, desde matéria-prima, custos de produção, montagem, envio, etc. 

Custos indiretos

Esse tipo de custo não pode ser mensurado de forma tão exato no ciclo de venda de um produto. São custos como energia elétrica, equipamentos de escritório, prestadores de serviços terceirizados, como limpeza, segurança e vigilância, etc.

D

Débito Direto Autorizado 

O DDA é um sistema para receber o formato online do boleto, já o débito automático é quando você combina previamente com seu banco para autorizar o pagamento automático mensal, debitado da sua conta para empresas de contas de serviços como água, gás e luz.

As cobranças que você pode visualizar na sua conta de DDA são aquelas referentes a boletos que foram emitidos em seu nome, como mensalidades, taxas, compra de produtos e serviços. 

Se você não pagar um boleto online que está aparecendo no seu DDA, ele tem o mesmo efeito que um boleto físico, e pode ser protestado pelo emissor e aplicado juros e multas. Se você não reconhece algum dos boletos que recebeu entre em contato com o emissor da cobrança. As cobranças que aparecem no seu DDA não são debitadas automaticamente. 

Leia também: O que é DDA? Saiba para que serve o débito direto autorizado

Depreciação

É a perda de valor que acontece com algum bem devido ao uso, tempo ou desvalorização de mercado. Uma máquina comprada para a empresa, por exemplo, é considerada um ativo, pois pode ser convertida em dinheiro, se for colocada à venda, mas ela dificilmente será vendida pelo mesmo valor que foi comprada – essa diferença é chamada de depreciação.

DOC

DOC significa Documento de Ordem de Crédito e é o tipo de transferência bancária que passa o dinheiro da sua conta para outra apenas no dia útil seguinte do pedido. E tem mais:  se você solicitar a transferência depois das 21h59, o dinheiro só vai cair na outra conta dois dias úteis depois. 

Nesse tipo de modalidade só é permitido transferir quantias até R$ 4.999,99. A vantagem do DOC é que dá pra cancelar a transferência se você for até o banco. 

F

Faturamento

O faturamento é, por definição, a soma dos lucros obtidos por uma empresa. Em outras palavras, ele corresponde a toda receita que entra na empresa, proveniente tanto da venda de produtos quanto de serviços.

Esse dado, além de ser essencial para acompanhar a saúde financeira de um negócio, é obrigatório para a o fisco, justamente por demonstrar qual é o valor referente às operações comerciais de um determinado período.

O faturamento de uma empresa é o primeiro dado da DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), que funciona como uma espécie de resumo das  operações relativas à geração do resultado econômico de uma empresa durante determinado intervalo de tempo.

O valor dos impostos que a sua empresa deve pagar (como por exemplo COFINS, ICMS, PIS) sempre são relacionados ao seu faturamento.

Com a Juno, no menu Relatórios, você tem acesso ao faturamento do seu negócio nos seguintes intervalos de tempo:

  • Últimos 7 dias;
  • Últimos 30 dias;
  • Mês atual;
  • Mês anterior;
  • Ano atual;
  • Faturamento total;
  • Faturamento previsto *suas cobranças em aberto multiplicadas pela sua taxa de conversão. Valores estimados.

Leia também: Qual é a diferença entre faturamento e lucro?

Fintech

O termo fintech vem da combinação entre Financial e Technology. Traduzindo, são empresas que unem tecnologia e finanças, e que estão revolucionando o mercado financeiro mundial com custos menores, muita tecnologia e menos burocracia.

Leia também: O que é uma fintech?

Fluxo de caixa 

O fluxo de caixa é a movimentação de entradas e saídas de dinheiro do caixa do seu negócio, ou seja, tudo que sua empresa recebe e paga. Para garantir um bom controle de fluxo de caixa, é fundamental manter um registro detalhado diário, semanal e mensal de ganhos e gastos.

O passo mais importante para organizar o fluxo de caixa do seu negócio é entender que essa é a ferramenta responsável por controlar a movimentação financeira, como: 

  • Receitas; 
  • Despesas; 
  • Contas a pagar ou a receber; 
  • Investimentos e inadimplência em um período de tempo predeterminado. 

Leia também: Como organizar o seu fluxo de caixa?

G

Gateway de pagamento

Os gateways de pagamento são o ambiente do e-commerce destinado para a transação, garantir o recebimento por parte da loja virtual, pela instituição financeira credenciada e ainda gerar o comprovante pela compra dos produtos

Em compras realizadas via cartão de crédito, a comunicação com a operadora acontece de forma instantânea e, se o limite do cliente estiver positivo, a compra é concluída na mesma hora. Já nos pagamentos por boleto bancário, o tempo de compensação da compra pode ser de até 3 dias úteis a partir do pagamento efetuado pelo consumidor. 

Leia também: Gateway de pagamento x intermediador de pagamentos

I

Inadimplência

Na prática, a inadimplência é o descumprimento de uma obrigação financeira, ou seja, a falta de um pagamento até a data de vencimento prevista em contrato. 

Um exemplo comum desse cenário é o não pagamento da mensalidade de uma escola ou academia, ou ainda da parcela de uma compra compra realizada no cartão de crédito. 

A inadimplência também acontece com frequência entre pessoas jurídicas, como mencionamos no começo deste artigo. Muitas empresas acabam se tornando inadimplentes por problemas no planejamento financeiro ou até mesmo pela quantidade de clientes e fornecedores devedores em sua carteira, o que acaba gerando um ciclo de dívidas. 

Vale lembrar que é possível se tornar inadimplente com outras instituições além das financeiras, como condomínios, empresas diversas e o governo federal, por exemplo.

Leia também: Como utilizar lembretes de pagamento para reduzir a inadimplência do seu negócio?

Inflação

O termo está sempre presente nos noticiários e entender o significado é mais simples do que parece. A famosa inflação indica o aumento no nível de preços.

Com base no mercado e na expansão monetária, cria-se uma média dos custos de bens e serviços em um determinado período, prevendo a porcentagem que os valores vão subir.

Quando o oposto acontece e os preços caem, acontece a deflação, que também influencia a maneira como as pessoas gastam.

Leia também: Como calcular a inflação

K

KPI – Key Performance Indicator

A sigla é uma abreviação para a expressão em inglês Key Performance Indicators, e, na tradução para o português, quer dizer indicadores-chave de performance. Mas o que isso quer dizer no universo empresarial? 

A principal função dos KPIs é mensurar o desempenho e a qualidade dos processos de um negócio, de acordo com suas metas e objetivos. É a partir desses indicadores que é possível medir a performance das equipes, por exemplo. 

Com base nos dados levantados pelos KPIs e, principalmente, o acompanhamento desses indicadores de desempenho, é possível identificar pontos importantes de melhoria para a empresa.

Leia também: O que são KPIs e como eles podem ajudar o seu negócio?

L

Lucro

O lucro é o valor total que uma empresa possui, depois que os gastos são subtraídos do faturamento. Ele pode ser dividido em lucro bruto e líquido, de acordo com os tipos de gastos de cada negócio.

Lucro bruto 

O lucro bruto é definido a partir dos custos variáveis de uma empresa. Para calculá-lo é preciso subtrair o faturamento do negócio dos custos variáveis. A fórmula é a seguinte:

lucro bruto= faturamento – custos variáveis

Lucro líquido

O lucro líquido, por sua vez, é igual ao valor faturado menos a soma dos custos variáveis, dos custos fixos e dos impostos:

lucro líquido = faturamento – custos variáveis – custos fixos – impostos

M

Margem de contribuição

É um indicador financeiro que mostra se uma empresa tem receita suficiente para pagar seus gastos e despesas variáveis, sem perder lucratividade. 

O volume de vendas sozinho não indica se a empresa está saudável financeiramente ou não, mas com a margem de contribuição é possível como anda a saúde financeira do negócio.

O

Open Banking 

Open Banking é a prática de compartilhar informações de clientes que necessitam de uma solução financeira segura e automática. Essa abertura de informações se dá a partir de APIs disponibilizadas por instituições financeiras.

Pelo fato das APIs garantirem esse compartilhamento de dados – com a autorização do cliente – é possível que uma grande troca de informações aconteça entre as instituições. Isso facilita a contratação de novos serviços para o consumidor.

Com o Open Banking, o consumidor poderia, por exemplo: ter uma conta corrente no banco A, cartão de crédito na fintech B, contratar um seguro no banco C e fazer investimentos numa instituição financeira D – e tudo isso estaria presente numa mesma tela de app, visto que todas as informações relativas aquele cliente são integradas.

Com o open banking, a criatividade será o limite quando o assunto forem soluções financeiras.

Leia também: O que é Open Banking e como ele vai mudar os bancos brasileiros

P

Pagamentos recorrentes 

Nesse tipo de cobrança, o pagamento é feito de forma contínua, em serviços que permitem uma assinatura ou mensalidade. Durante o período que o serviço durar,  o cliente vai continuar a pagar pelo tempo combinado em contrato. Os pagamentos podem ser quinzenais, mensais, semestrais e até mesmo anuais.

No dia a dia, o usuário já está acostumado com cobranças recorrentes, mesmo que não esteja familiarizado com o termo. Empresas com planos de assinatura como Netflix e Spotify, por exemplo, funcionam com esse tipo de pagamento, em que o cliente concorda em pagar por um serviço por um determinado valor e período de tempo. Tudo isso fica acordado nos termos do uso na hora de assinar o plano.

Outros exemplos em que a cobrança recorrente é muito utilizada são:

  • Clubes de assinatura;
  • Condomínios;
  • Academias;
  • Estacionamentos;
  • Cursos;
  • Feiras e eventos anuais; 
  • Planos de assinatura em empresas.

Leia também: Pagamento recorrente: como cobrar com recorrência

Passivos

Os passivos de uma empresa correspondem aos itens que geram custos, ou seja, ao saldo das obrigações e saídas de dinheiro. Aqui entram contas de luz e água, como exemplos.

A diferença entre ativo e passivo de uma empresa é o que forma o patrimônio líquido e fazer essa diferenciação é uma boa forma de analisar receitas e gastos.

Pessoa Física

Pessoa física é toda pessoa reconhecida pelo Estado.

Pessoa Jurídica

O termo pessoa jurídica ou PJ, significa uma entidade formada por uma ou mais pessoas físicas. Elas sempre possuem um propósito ou finalidade e são registradas sob um CNPJ e podem ser: 

  • Empresas;
  • ONGs;
  • Partidos políticos;
  • Sociedades;
  • Fundações;
  • Igrejas.

Pix 

O Pix é o novo sistema instantâneo de pagamentos e transferências anunciado pelo Banco Central no final de fevereiro. E quando o BACEN fala que vai ser instantâneo não é brincadeira: as transações vão ser realizadas em até 10 segundos, 24h por dia, todos os dias da semana. 

Leia também: Conheça o Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central

Planejamento financeiro

Parte do planejamento estratégico, essa etapa é fundamental para garantir o crescimento sustentável da empresa, pois por mais que o negócio seja lucrativo, muitas vezes ele pode levar mais tempo que o necessário para se desenvolver. 

Nesse sentido, desenvolver o planejamento financeiro de forma estratégica, significa conseguir calcular de forma precisa o investimento inicial do negócio, somado ao que foi investido na empresa longo de um determinado período de tempo, e somar a essas duas variáveis a previsão de despesas anuais. A partir dessa conta, é possível obter o custo total do negócio ao longo desse período. 

Para determinar a previsão de receitas anuais, é preciso somar a estimativa  de vendas do negócio e fazer uma comparação com o custo, para entender se a receita é suficiente para garantir o retorno do capital investido. Outro valor que precisa ser somado é o patrimônio da empresa, já considerando os possíveis ajustes patrimoniais, pois estes também são ativos, ou seja, podem ser transformados em dinheiro caso a empresa venha a fechar, por exemplo.

A partir de todos os demonstrativos financeiros do seu negócio em mãos, é possível traçar o planejamento de forma assertiva e estratégica.

Ponto de equilíbrio

É o ponto no tempo onde a empresa consegue zerar sua operação, o que significa pagar todas as suas contas e recuperar investimentos, e começar a ter lucratividade. Basicamente, é o valor mínimo que um negócio precisa vender para não entrar no prejuízo.

Q

QR Code

Sigla para a expressão em inglês Quick Response Code, o QR Code é um código de barras bidimensional. Ao contrário do tradicional código de barras, que contém informações apenas na horizontal, o código QR possui dados também na vertical. 

Esse tipo de código pode ser lido por qualquer smartphone, desde que o mesmo esteja conectado à internet e tenha uma câmera funcionando. Alguns modelos de telefone precisam de aplicativos específicos para fazer a leitura dos QR Codes. 

Por ser um código visual, pode estar em forma digital, em um dispositivo, física ou ainda impresso. Uma de suas principais vantagens é levar o usuário diretamente a promoções, sites e até mesmo a áreas de checkout para efetuar pagamentos. Isso quer dizer que o QR Code elimina a necessidade de inserção de endereços em navegadores de smartphones.

S

Split de pagamento 

Quando pensamos em toda a facilidade que o marketplace oferece no processo de vendas, uma questão comum é sobre como funciona o pagamento online, considerando que neste cenário são vários lojistas vendendo seus produtos em um mesmo ambiente virtual. É justamente aí que entra o conceito de split de pagamento, uma funcionalidade exclusiva de marketplaces. 

O split de pagamento possibilita a divisão de valores na plataforma, de maneira automática, na hora da autorização da compra entre as partes envolvidas na transação. 

O consumidor não percebe esse processo todo, e efetua o pagamento único da compra, como faria normalmente em qualquer loja virtual, mesmo que em seu carrinho existam produtos de lojistas diferentes. É nesse sentido que o split funciona: o valor vai ser dividido e cada loja vai receber a fatia exata referente aos seus produtos, já com a taxa do marketplace incluída.

Leia também: O que é e como funciona o split de pagamento?

Subadquirente

As subadquirente, por sua vez, são responsáveis por fazer a intermediação dos pagamentos entre as partes envolvidas na transação financeira. 

Por conta da praticidade que oferece, esse tipo de meio de pagamento é muito utilizado por negócios de pequeno e médio porte, mas tem sido uma solução buscada por empresa maiores também, justamente porque através dela é possível começar a aceitar pagamentos online com apenas uma integração.

A empresa subadquirente faz a comunicação com as adquirentes, com serviços antifraude e a partir disso entrega para o dono do e-commerce uma solução completa e descomplicada.

Outra vantagem que as subadquirentes têm em relação às adquirentes é a sua facilidade de implementação, o que reduz custo e tempo de integração de forma considerável. Todo o processo se torna menos burocrático, pois o credenciamento com a operadora de cartão já foi realizado anteriormente.   

Atualmente a Juno é a subadquirente das maiores adquirentes do Brasil, com uma solução completa para o seu e-commerce aumentar a conversão de vendas de forma descomplicada e longe de burocracias. 

A Juno é uma plataforma que vai ajudar você a cuidar da saúde financeira do seu e-commerce.

Leia também: Adquirente e subadquirente: o que é e quais são as diferenças?

T

TED

A sigla para Transferência Eletrônica Disponível é o tipo de transferência em que o dinheiro sai da sua conta no momento em você faz a operação e já cai no destino, desde que tenha sido realizada antes das 17 horas daquele mesmo dia. Caso tenha feita depois desse horário, o valor só vai cair na conta destinada no próximo dia útil.

Um outro contraponto desse tipo de transferência é que, depois de realizada, não tem jeito de ser cancelada. Não existe um valor mínimo para TEDs e valores superiores a R$ 5 mil podem ser transferidos.

Quer saber o que mais a Juno pode fazer pelo seu negócio?

Preencha o formulário abaixo e a nossa equipe entrará em contato!

Quer continuar essa conversa? Fale com a gente pelas nossas redes sociais @tamojuno 🤟