Materiais gratuitos

Fluxo de caixa para ONGs

Uma empresa saudável movimenta dinheiro. É a quantia que sai para pagar a conta de luz, de internet e o salário dos funcionários. É o dinheiro que entra depois de uma grande entrega de trabalho. São os impostos, que precisam ser quitados, ou então as doações, que acontecem com frequência em empresas do terceiro setor. […]

Fluxo_de_caixa_para_ongs
Tempo de leitura: 3 minutos

Uma empresa saudável movimenta dinheiro. É a quantia que sai para pagar a conta de luz, de internet e o salário dos funcionários. É o dinheiro que entra depois de uma grande entrega de trabalho. São os impostos, que precisam ser quitados, ou então as doações, que acontecem com frequência em empresas do terceiro setor. O mesmo é válido para as ONGs.
Toda essas entradas e saídas de dinheiro precisam ser organizadas adequadamente. Caso contrário, o caos se instala na instituição, que não tem controle de quanto dinheiro realmente precisa para sobreviver. Mas afinal de contas, o que fazer para manter tudo isso em ordem? A resposta é: um fluxo de caixa.  
Fluxo de caixa é o nome dado para o controle de todas as movimentações financeiras de uma empresa, seja ela do primeiro, segundo, ou terceiro setor. Ele é uma ferramenta que permite que todas as receitas ou despesas sejam registradas, garantindo a organização da empresa.
Ter um fluxo de caixa traz transparência para uma organização. Com esse documento, fica fácil ver de onde a receita vem e no que a empresa gasta. Essas informações permitem que o gestor entenda qual é o momento financeiro da empresa. Assim, pode decidir se precisa tomar decisões que garantam mais dinheiro para a instituição, ou então cortar determinadas atividades que geram gastos excessivos.
Um fluxo de caixa é importante para todas as empresas. Porém, as ONGs —especialmente — precisam dar uma atenção extra para essas movimentações financeiras.

A importância do fluxo de caixa para as ONGs

A maior parte das ONGs executa as suas atividades com o dinheiro que recebem por meio de doações. Essa quantia costuma variar de um mês para o outro. Apesar de a quantidade de recursos financeiros que entra não ser constante, a instituição costuma ter custos recorrentes. São contas, impostos, pagamentos de funcionários e também ações que têm o objetivo de ajudar a sociedade.
Para conseguir operar nesse “cenário incerto”, as instituições do terceiro setor precisam ser extremamente organizadas. O fluxo de caixa entra como uma ferramenta que auxilia na visualização de cenários. Com as informações presentes nesse documento, o gestor pode tomar decisões fundamentais para a ONG.
controlando o fluxo de caixa de sua ONG
Além disso, as instituições do terceiro setor precisam ser extremamente transparentes. Todos os gastos de uma ONG precisam ser comprovados, garantindo que a instituição esteja “limpa” para participar de editais e conseguir patrocínios, por exemplo. O fluxo de caixa ajuda nesse processo.

Como fazer um fluxo de caixa para ONGs

O nosso compromisso aqui na JUNO é tornar as transações financeiras da sua instituição mais fáceis. Por isso, nosso time criou um modelo de fluxo de caixa para ONGs. Além de gratuito, ele é muito fácil de usar.

Clique aqui e baixe a sua planilha de fluxo de caixa para ONGs

Ao abrir a sua tabela, você vai ver que o seu preenchimento é muito simples. Você só precisa entrar na aba “fluxo de caixa” e apagar todos os exemplos que estão ali (colocamos algumas informações só para te ajudar a visualizar como o material ficará depois de preenchido).
Na sequência, é só descrever todas as entradas e saídas da sua instituição. Na área “plano de contas”, adicione todas as movimentações da sua ONG, colocando os valores adequados ou na aba de entrada ou na de saída. Aqui, entram dados como: pagamento de internet, salários, impostos, aluguel, doações, etc. Sempre tenha como base a data desse pagamento.
Apenas colocando essas informações, a sua tabela já vai sendo preenchida automaticamente. Com isso, é possível ter noção de quais foram todas as suas receitas e despesas, seja deste mês, ou de anteriores. Mantendo a frequência desse preenchimento, é possível saber, inclusive, quais foram os gastos e ganhos do ano! Isso é excelente para se planejar financeiramente em relação a doações, captação de recursos, etc.
Ao colocar todas as informações nessa aba de “fluxo de caixa”, você já vai atualizar os dados das áreas “relatório receita e despesa” e “relatório plano de contas”. Dessa maneira, fica muito mais fácil de entender as movimentações financeiras da sua ONG. Inclusive, essa tabela vai facilitar a sua vida e a do seu contador, na hora de fazer o fechamento do seu livro contábil mensal.

Dicas extras:

* Para que essa tabela de fluxo de caixa funcione, ela deve ser atualizada com frequência. A nossa dica é deixar uma pessoa na instituição responsável por colocar os dados no ar diariamente.
* Além de colocar os dados na planilha, guarde todos os recibos e comprovantes de movimentações financeiras. O fluxo de caixa é uma ferramenta que te ajuda a se organizar. Porém, mesmo com ele você precisa comprovar de onde e para onde o dinheiro vai.
* Leia o artigo “Gestão Financeira para ONGs”. Nele você vai conferir outras dicas de como manter as finanças da sua empresa do terceiro setor organizadas.
* Adote a JUNO como ferramenta oficial para emitir as cobranças da sua ONG. Saiba mais aqui.