Materiais gratuitos

Case de sucesso: Teacher Chris – Como empreender como professor

Professor é uma das profissões mais antigas do mundo. Para se adaptar pelos anos e diferentes perfis de alunos alunos, criatividade é a chave de ouro. Vem se inspirar com o Teacher Chris Brazil!

Como_empreender_como_professor
Tempo de leitura: 4 minutos

Estamos sempre em busca de novos conhecimentos, seja para trabalho, necessidade pessoal ou hobby. Nesses momentos contamos com a figura decisiva do professor, que ajuda a acessar novos mundos. 

Batemos um papo sobre a profissão com o Teacher Chris Brazil, professor de aulas particulares. Segundo ele, a função do professor não é de passar conhecimento, mas ensinar a usar o seu conhecimento. “O professor tem um papel ativo, é uma ferramenta, uma pessoa que está do seu lado pra você mesmo fazer, para passar habilidades para que você também tenha conhecimento, ou também se torne um autodidata”

Para assumir esse desafio, se adaptar a diferentes contextos, perfis de alunos alunos e propósitos de aprendizagem, o professor precisa ter criatividade. E criatividade o Teacher Chris tem de sobra!

Quem é o Teacher Chris Brazil

Professor particular de inglês, Teacher Chris Brazil se destaca no Instagram de no Youtube, onde mantém  contato com os alunos e dá dicas de idioma. 

Chris não nasceu em terras inglesas, mas em Registro, interior de São Paulo, e se mudou para Curitiba com 14 anos. Sempre gostou da profissão professor e sempre gostou de idiomas, mas não imaginava que seria tão cedo: encarou uma sala de aula pela primeira vez aos 18 anos. Pegou gosto e segue firme na profissão! 

Nesses 10 anos como professor, muita coisa mudou. Teve que aprender a ensinar para diferentes pessoas e usou de criatividade também para mudar a sua carreira. Da sala de aula tradicional, passou ao ensino presencial e com vídeos; da sala cheia de alunos, passou a dar aulas particulares. De contrato com escola, empreendeu como autônomo.

Empreendendo como professor autônomo

Inquieto com os sete anos em escola de idiomas, Chris repensou como queria levar sua carreira. Buscando mais liberdade e novos desafios, decidiu empreender. Afinal, ter o seu próprio horário e liberdade para conciliar agenda com o aluno é bom, não é? Contudo, nem tudo são flores.

Chris bateu a cabeça, usou de estratégias do seu início da profissão para a guinada na carreira e também sentiu frio na barriga! “Meu primeiro frio na barriga foi pensar em que outras habilidades eu iria ter desenvolver além de professor, pra ser um gestor da minha carreira autônoma”

Administração da vida de autônomo

Pensar em empreender é mais do que pensar no trabalho em si que vai ser ser exercido. Tem que pensar em custos, contrato, material, pagamentos. “São coisas que eu não previ e que me atrapalharam financeiramente no início. Às vezes a gente se segura demais, a às vezes a gente pula demais, eu me daria uns meses a mais para… to junggle, equilibrar tudo isso. Mas comecei e fui aprendendo ao longo do caminho”.

Leia também:
Como organizar as finanças sendo autônomo
10 dicas para quem pensa em virar autônomo
Quanto cobrar por aulas particulares

Marketing de indicação

A resposta para o que precisou fazer para conseguir novos alunos quando saiu da escola foi: “Nada. Nesses 3 anos eu vivo de indicação”. A figura Chris já existia quando dava aula em escola e o vínculo com alguns alunos era forte a ponto deles escolherem onde iriam ter aulas pelo professor. 

A experiência positiva que os alunos têm com ele os fazem comentar para outras pessoas. Muita coisa influencia nisso, mas a dedicação do Teacher é o fator decisivo: cada aluno traz um objetivo, que se torna um projeto juntos. Passar no Toefl, mudar-se pra Holanda, viajar para os Estados Unidos, alavancar no trabalho. Os objetivos são compartilhados e o projeto que antes era individual do aluno, agora é coletivo dos dois.

Além disso, apesar de Teacher, o que o Chris faz não é dar aula de inglês, mas proporcionar momentos de inglês. São english moments pra conversar no idioma, expandir vocabulário e ver pronúncia. Estar sempre envolvido com pessoas de diferentes áreas, com eventos de diferentes segmentos, mostrando a cara sem medo também ajuda.

Cobrando seus alunos de uma maneira fácil e rápida 

Cobrar os clientes também era uma tarefa nova. Começou recebendo por transferência bancária, mas o recebimento era randômico e precisava controlar em planilhas manuais. Com a necessidade de organização da questão financeira da profissão, buscou uma solução de pagamentos. 

Assim como os seus alunos chegam por indicação, também aceitou indicação – recebeu a indicação da Juno no coworking onde que trabalhava. Os relatórios ajudam a entender o fluxo de caixa e a transferência é feita uma vez por mês, contou Chris. 

E vale a pena ser professor? 

Sem dúvida! Quem gosta se desenvolve com as conexões. “Cada aluno é diferente, cada história é diferente, cada relacionamento é diferente, cada bloqueio é diferente, então lidar com isso é legal, isso te leva a ser criativo e usar as suas habilidade.” 

“O mais gratificante é ver os alunos progredindo. Eu tenho oportunidade de ver isso, tem alunos que moram na África, na Holanda, na Suíça, e que naquele momento que eles precisavam de um profissional da área de inglês, eu fui esse profissional”. Mais do que cumprir o papel, fez a diferença na vida das pessoas.

O desafio de ensino agora é dar aulas de português para alunos estrangeiros. E de aprendizagem são novos idiomas: alemão, holandês, polonês, espanhol, italiano e japonês.