Conta Jurídica ou Conta Pessoal: diferenças e porque é importante separá-las

Foto de Time Juno
Por Time Juno
11 min de leitura
06/10/2021

Pensando em profissionalizar a sua empresa? Abrir uma conta jurídica pode ser o primeiro passo para elevar seu negócio ao próximo nível.

Você que já empreende está pensando em abrir uma conta jurídica para seu negócio? Quem tem CNPJ possivelmente já ouviu falar sobre a importância da abertura de uma conta PJ para a empresa

O problema é que mesmo sabendo da existência desse tipo de conta, nem todo empreendedor investe em uma conta específica para seu negócio, e isso pode gerar complicações no futuro de diferentes maneiras.

Antes de mais nada, é importante você saber que quem possui um CNPJ não é obrigado a abrir uma conta jurídica em bancos ou fintechs. Porém, optar por ter uma conta exclusiva para sua empresa é uma atitude que traz profissionalização e credibilidade para seu negócio, além de facilitar a vida do empreendedor junto à contabilidade e também com a Receita Federal.

Por isso, hoje a gente vai te explicar o que é Pessoa Física e Jurídica, quais as vantagens de regularizar seu negócio e quais os benefícios que uma conta PJ pode trazer para o futuro da sua empresa. Vamos lá?

O que é Pessoa Física?

Conta Jurídica ou Conta Pessoal: vejas as diferenças e porque separá-las
Foto: Reprodução / Receita Federal

Pessoa Física (PF) se refere a qualquer cidadão a partir do seu nascimento. O primeiro registro oficial de uma Pessoa Física é a Certidão de Nascimento, mas mesmo que um indivíduo ainda não possua CPF (Cadastro de Pessoa Física), ele já é considerado uma PF.

Também chamado de Pessoa Natural no Código Civil, a Pessoa Física precisa realizar pagamentos de impostos e declarar seus rendimentos junto à Receita Federal. Os impostos mais comuns que uma Pessoa Física deve quitar são:

  • Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF);
  • Imposto sobre a Propriedade Territorial Urbana (IPTU);
  • Imposto sobre Propriedades de Veículos Automotores (IPVA).
  • Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI);
  • Imposto sobre a Mortis e Doação de Bens ou Direitos (ITCMD);
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

O que é Pessoa Jurídica?

uma conta jurídica vai ajudar você a organizar melhor as finanças da sua empresa
Foto: PxHere

Já a Pessoa Jurídica (PJ) se refere a uma entidade formada por uma ou mais Pessoas Físicas. Toda Pessoa Jurídica é registrada de acordo com seu propósito e finalidade por meio de um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

É através do número do CNPJ que a Receita Federal consegue identificar e acompanhar as movimentações financeiras das empresas, sempre de olho se os tributos estão sendo recolhidos corretamente, por exemplo.

Os exemplos mais comuns de Pessoas Jurídicas são:

  • Empresas;
  • ONGs;
  • Partidos políticos;
  • Sociedades;
  • Fundações;
  • Igrejas.

Assim como a Pessoa Física tem obrigações legais, quem é Pessoa Jurídica também possui uma lista de impostos específicos que devem ser pagos. Os mais comuns são:

  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Imposto sobre Serviços (ISS);
  • Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Imposto de Importação (II);
  • Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Atenção: MEI é considerado Pessoa Física

Juridicamente falando, apesar de ter um CNPJ para poder exercer uma atividade empresarial, quem é Microempreendedor Individual (MEI) é considerado Pessoa Física. 

É confuso, a gente sabe, mas isso acontece porque, de acordo com a lei 18-A DA LC 123/06, o patrimônio do MEI enquanto pessoa física e pessoa jurídica é o mesmo.

Mas apesar de empreender sozinho, o titular precisa cuidar da sua contabilidade e do pagamento de tributos normalmente, beleza?

Conta jurídica e conta pessoal: o que são e vantagens para empresas

uma conta jurídica traz informações sobre seu faturamento de maneira detalhada
Foto: PxHere

Uma pessoa com CPF pode abrir uma conta pessoal, essa que você está acostumado a ver ser ofertada em todos os bancos e fintechs com cartão de crédito, débito, cheque entre outros recursos. Todas as movimentações financeiras feitas nessa conta pessoal ficam relacionadas à Pessoa Física.

Contudo, quem tem CNPJ pode se beneficiar da abertura de uma conta PJ, cuja movimentação financeira será atrelada à Pessoa Jurídica. As contas PJ também oferecem cartões, internet banking para gerenciar o dinheiro e todos os recursos que você já está acostumado a ver nas contas bancárias.

A grande vantagem é que muitas contas jurídicas oferecem taxas especiais, além da possibilidade de emissão de cobranças profissionais e boletos registrados gerados diretamente pela conta bancária — como acontece aqui na Juno para quem tem a nossa Conta Digital PJ.

Outro fator relevante é que muitos fornecedores e clientes grandes exigem que pagamentos feitos às empresas sejam realizados através de contas Pessoa Jurídica.

Empreendedores que possuem contas PJ também levam vantagem na hora de solicitar empréstimos para expandir suas empresas, já que existem muitas linhas de crédito específicas para quem tem CNPJ. Por isso, apesar de não ser obrigatório, os benefícios que uma conta Pessoa Jurídica traz com o passar do tempo são realmente grandes.

Portanto, resumindo: os benefícios de ter uma conta jurídica são:

  • Evitar problemas com a Receita Federal, porque toda a movimentação financeira estará separada;
  • Facilitar a contabilidade, já que não há mistura de despesas pessoais e empresariais;
  • Facilitar a solicitação de empréstimos, um recurso excelente para expandir seus negócios;
  • Ter maior credibilidade perante seus clientes;
  • Realizar pagamento de fornecedores com segurança;
  • Controlar melhor seu lucro, investimento e aplicações financeiras.

Profissionalizar seu negócio é o caminho do sucesso

Em julho de 2021, durante um episódio do Código Azul — o podcast de finanças e tecnologia aqui da Juno —, nós tivemos um papo bem importante com a participação especial do Eduardo Maceira, CFO da Vitto, e com a Marcela Milano, consultora de inovação do Sebrae Paraná

Nessa conversa, Marcela Milano comentou que o Sebrae tem visto muitas pessoas abrindo seus negócios, especialmente por conta da pandemia da COVID-19. O crescimento de aberturas de empresas MEI ocorreu devido ao alto índice de desemprego e complemento de renda. 

Para ouvir o nosso podcast, basta apertar o play:

Mas esse processo de formalização vai muito além disso. Isso porque a profissionalização vai destravar vários caminhos e permitir que o empresário possa levar de fato o negócio para outros níveis. A formalização é importante para sair do atendimento informal e também garantir que o sonho do empreendedor não vire um pesadelo com o passar do tempo.

Os problemas geralmente ocorrem devido a dívidas, misturar contas pessoais com o dinheiro da empresa e uma série de dificuldades acarretadas caso a profissionalização não for levada a sério.

Como separar as despesas pessoais do dinheiro da sua empresa

Um dos primeiros passos para quem deseja se profissionalizar e começar a separar as finanças pessoais do dinheiro da empresa é ter uma conta PJ apenas para os negócios e uma conta PF para cuidar das despesas pessoais.

Abaixo, confira dicas que podem te ajudar na separação da grana:

1. Defina quanto dinheiro você precisa para manter as despesas pessoais em dia

Qual é o valor mensal que você precisa para manter suas despesas pessoais? Quanto você gostaria que fosse o seu salário?

Tudo começa com a definição de quanto dinheiro você precisa por mês para pagar as suas contas pessoais e ainda fazer o “seu pezinho de meia”, ou seja: guardar aquele dinheiro para futuras emergências.

Seja honesto com seus gastos pessoais e faça projeções coerentes de acordo com o faturamento da sua empresa. É importante que você não caia em tentação e retire dinheiro a mais do negócio só porque teve um faturamento melhor em um mês específico.

O combinado não sai caro e se você calcular tudo direitinho, vai sobrar dinheiro para pagar as contas da casa, os lanches que você pede no delivery, fazer uma viagem e tantos outros projetos pessoais que vão trazer novos ares na sua vida.

2. Mapeie a saúde financeira do seu negócio

O próximo passo é mapear todo o dinheiro que entra e que sai na sua empresa. Você precisa ter na ponta do lápis ou em um sistema todas essas informações salvas e registradas para compreender a saúde financeira da sua empresa.

Sabendo disso, você consegue provisionar seu faturamento e prever o pagamento de fornecedores e custos com despesas fixas.

Aqui na Juno, por exemplo, você conta com uma ferramenta de relatório financeiro completa para conferir o faturamento do seu negócio. Esses dados ajudam você a entender quanto dinheiro entrou e quanta grana ainda vai entrar com base nas cobranças que você emitiu.

3. Divida os custos entre PF e PJ

Quem é empreendedor muitas vezes trabalha de casa. Se você vai separar sua conta PJ da sua conta Pessoa Física, também é importante separar o que é despesa pessoal do que é despesa da sua firma.

Nesse cálculo, você precisa levar em consideração gastos como água, luz, aluguel e até custos com celular e internet que você for utilizar. Depois de levantar esses custos, é importante que você calcule quanto cada um desses bens é usado na sua vida pessoal e na sua vida de empreendedor.

Uma boa forma de dividir essas despesas é colocar 50% como gasto da empresa e 50% como gasto pessoal. Essa porcentagem, na verdade, vai depender da sua avaliação. Pode ser que você considere 70% para empresa e 30% para vida pessoal. Mas o mais importante é você estipular essa divisão para que cada lado, a empresa e o você pessoa física, arquem com as despesas de forma correta e justa.

Abra uma conta PJ na Juno e descomplique as finanças do seu negócio

Você viu que ter uma conta PJ é o primeiro passo para profissionalizar seu negócio. Aqui na Juno, em 6 minutos, você abre sua conta jurídica e já tem tudo pronto para descomplicar as finanças do seu negócio! A Conta Juno tem tudo o que você e o seu negócio precisam para chegar mais longe de um jeito rápido, fácil e gratuito 😉

Com a Conta PJ Juno, você cobra, gerencia e automatiza as finanças da sua empresa sem complicação, com acesso a:

  • Ferramentas para cobrar seus clientes por Pix, cartão de crédito e boleto com taxas transparentes de verdade;
  • Pix Cobrança no Boleto para emissão de boletos tradicionais que também possuem QR Codes;
  • Link de Pagamento para cobrar seus clientes pelo WhatsApp, e-mail e redes sociais de maneira geral por Pix, cartão de crédito ou boleto;
  • Venda sem maquininha de cartão de crédito com taxas que cabem no seu bolso e possibilidade de parcelamento em até 12 vezes;
  • Cartão Visa Internacional na modalidade pré-pago sem anuidade e tarifas;
  • Painel de controle para conferir relatórios de faturamento da sua empresa;
  • E muito mais!

Tá esperando o que para ser Juno? Abra sua conta agora mesmo 🤟