Tecnologia

Como pagar contas com o Pix?

O Pix já mostrou que veio para dominar o mercado de meios de pagamento do Brasil, e agora, se uniu ao universo do boleto bancário, trazendo muito mais agilidade e otimização também para o processo de pagamento de contas. Saiba mais!

Pix imagem descritiva
Tempo de leitura: 5 minutos

Desde que fez sua entrada triunfal no mercado de pagamentos do Brasil, em novembro de 2020, mais de 50 milhões de pessoas já fizeram um Pix do Bacen, o que totalizou mais de 275 milhões de transações desse novo sistema de pagamentos instantâneos, segundo dados divulgados pelo próprio Banco Central

Essas transações somaram R$ 197,6 bilhões até o final de fevereiro de 2021. De acordo com o levantamento, a maior parte das transações foi P2P (entre pessoas), movimentando R$ 75,9 bilhões, seguido de B2B (entre empresas), com um total de R$ 57,6 bilhões, depois de empresa para pessoa (B2P), com R$ 20,6 bilhões, e por último de pessoa para empresa (P2B), com R$ 14,5 bilhões.

Essa adesão não surpreende, pois o sistema de pagamentos instantâneos do Bacen mudou a dinâmica e a velocidade tanto em fazer pagamentos quanto em receber cobranças, pois possibilita transações 24 horas por dia, todos os dias da semana e do ano, o que inclui finais de semana e feriados.

Ainda que a fama do novo sistema do Banco Central esteja muito relacionada à transferências bancárias, quando o assunto é pagar contas, as vantagens do Pix são muitas tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas

Já sabe pagar contas com o Pix? Neste artigo vamos mostrar como facilitar os seus pagamentos com o sistema mais rápido do país. Vem com a gente!

Pix imagem descritiva

Os pagamentos de conta antes do Pix

Pagar contas é uma necessidade comum a todas as pessoas, inclusive donos de negócios, e tornar esse processo mais ágil, pode otimizar esse processo fundamental para manter a saúde financeira de empresas e também de pessoas físicas.

Até então, as principais formas de realizar o pagamento de contas eram o boleto bancário, cartão de crédito, especialmente em pagamentos recorrentes, e até mesmo transferências bancárias, em casos mais raros. 

Para efetuar pagamentos por boleto bancário tradicional, o usuário pode contar com o já conhecido Internet Banking ou até mesmo se encaminhar até uma agência bancária e pagar a conta no caixa eletrônico.

Em pagamentos recorrentes por cartão de crédito, o cliente não precisa se preocupar, pois as cobranças são descontadas nas datas de vencimento acordadas na hora do fechamento da venda. 

No caso de cobranças com recorrência no boleto ou carnê, o consumidor também não enfrenta grandes problemas por conta dos lembretes automáticos enviados perto e na data de vencimento da cobrança. Na Juno, você pode configurar o envio desse tipo de lembrete no momento da emissão do boleto, antes da fatura vencer e no dia do vencimento.

A chegada do Pix

Além das já conhecidas transferências e pagamentos via Pix, por meio de QR Codes estáticos e dinâmicos, pagar contas como água, luz, telefone e outros tipos de conta, já é uma realidade.

Leia também: O que muda com o Pix, o novo sistema de pagamentos do Banco Central? 

O grande diferencial do novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central é a sua velocidade e disponibilidade, e essas vantagens também se aplicam para o pagamento de contas. 

A novidade que o Pix traz, tanto para pessoas físicas quanto para empresas, é a possibilidade de trazer esse tipo de meio de pagamento também para o universo do boleto bancário. 

Em novembro de 2020, uma semana antes do lançamento oficial do Pix no mercado de meios de pagamento do Brasil, a gente deu um baita spoiler sobre essa novidade na nossa Imersão Pix para Negócios

“Nós somos especialistas em gestão para software empresarial, então a gente tem sistemas para vários segmentos, desde indústria, confecção, comércio e também um segmento bem peculiar que é de distribuidoras de energia. Justamente é aí que o Pix entra como novidade, nas faturas de energia elétrica.”, conta Alvaro Brognoli, Analista de Negócios na Useall.

Confira na íntegra as dicas de como vender online com o Pix no painel da nossa Imersão Pix para Negócios, que aconteceu no dia 11/11, e teve como convidados o Alvaro Brognoli, Analista de Negócios na Useall, e o Ricardo Acras, CEO da FocusNFe. Dá o play:

[vídeo]

Como utilizar o Pix do Bacen?

Para realizar as transações do sistema Pix, vai ser preciso que tanto quem envia o dinheiro quanto quem recebe tenha uma conta, não necessariamente corrente, em um banco, uma instituição de pagamento ou em uma fintech. 

Chaves Pix

É a nova forma de identificar o seu endereço bancário. Por meio dessas chaves,  o Banco Central reconhece sua conta no banco e valida suas transações bancárias. Mas o que são essas chaves e como isso funciona? São dados como telefone, e-mail ou CPF/CNPJ, que ficam vinculados aos seus dados bancários.

Leia também: Tudo sobre as Chaves Pix

Tudo isso fica registrado no DICT (Diretório de Contas Transacionais).

Desde o dia 5 de outubro, você já pode cadastrar a sua Chave Pix pela Juno, direto pelo App Juno.

As transações via Pix acontecem por meio de QR Codes Estáticos e Dinâmicos:

QR Code estático 

  • Utilizado em diversas transações;
  • Permite definir um valor fixo para um produto ou a inserção de um valor pelo pagador;
  • Ideal para pequenos varejistas, prestadores de serviço e pessoas físicas.

QR Code dinâmico 

  • Uso exclusivo a cada transação;
  • Além do valor, permite a inclusão de outras informações, como a identificação do recebedor;
  • Gerado por um sistema, para diversas transações; 
  • Facilita conciliação e automação comercial.

Mas o que tudo isso quer dizer na prática?

No dia a dia do usuário, a diferença entre um tipo de código e outro é mais fácil de ser visualizada.

O QR Code estático pode ser utilizado em mais de uma transação, isso significa que pode estar impresso no PDV (Ponto de Venda), ser utilizado para dividir o valor de uma pizza entre amigos. Em outras palavras, ele é o tipo de código ideal para compartilhar, com segurança, dados bancários para realizar transferências.

Já o QR Code Dinâmico, por sua vez, desempenha a função de uma cobrança mais formal, de um modo geral associada a um boleto. É o tipo de código que vai ser muito utilizado para realizar pagamentos ou cobranças em e-commerces, por exemplo.

O Pix também oferece a possibilidade de inserir informações manuais para direcionar um pagamento, utilizando as mesmas chaves registradas no DICT – e-mail, CPF/CNPJ ou telefone – para determinar o destinatário de uma transação.

Outra opção é a Chave Aleatória, que é o endereço virtual de pagamento, e é uma forma de manter a privacidade do cliente no uso do QR Code estático. Ele funciona a partir de um número hexadecimal com 32 caracteres, e é gerado de forma aleatória e exclusiva pelo DICT.

Por que criar uma chave?

É necessária a criação de pelo menos uma Chave Pix para gerar cobranças pelo novo sistema de pagamentos do Banco Central via QR Codes dinâmicos ou estáticos.

Se você criou uma chave e outra instituição de pagamentos ou banco e quer usar o Pix pela Juno, pode ficar tranquilo. Você só precisa pedir a portabilidade da sua Chave Pix! Essa forma muito simples de migrar suas chaves de umas instituição financeira para outra

O pedido de portabilidade das chaves pode ser feito direto pelo seu app e a solicitação costuma acontecer em no máximo até 7 dias, e sua chave já vai estar vinculada à sua Conta Juno e você já vai poder utilizar o Pix para emitir cobranças!

Vale lembrar que a Chave Aleatória é única e intransferível, isso significa que ela é criada para uma apenas uma transação e por isso não se enquadra no pedido de portabilidade de Chaves Pix.

Revolucione seu negócio com o Pix na sua Conta Juno!

Preencha o formulário abaixo e a nossa equipe entrará em contato!

Quer continuar essa conversa? Fale com a gente pelas nossas redes sociais @tamojuno 🤟