Tecnologia

Como Instituições de Pagamento podem usar o Pix

O Pix, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, está cada vez mais próximo de entrar em operação. Mas o que isso quer dizer para as Instituições de Pagamento autorizadas pelo próprio BC? Entenda como elas podem operar com o Pix e o papel de cada agente nesse novo sistema!

PIX imagem descritiva
Tempo de leitura: 5 minutos

Para escutar este conteúdo na íntegra, você só precisa dar o play! 😉

O Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, entra em operação oficialmente em novembro de 2020, e isso significa que até lá, todos os bancos e fintechs com mais de 500 mil contas ativas vão precisar se adequar para poder oferecer essa novidade

Além da Juno fazer parte do time de fintechs com mais de 500 mil contas ativas, também fazemos parte de um outro time bem especial: junto com outras 24 empresas no país todo, a Juno é autorizada e reconhecida como Instituição de Pagamentos pelo Banco Central

Com o Pix, as transações bancárias passam a ser realizadas 24 horas por dia, todos os dias da semana e em todos os dias do ano, o que inclui finais de semana e feriados. Mas a velocidade e disponibilidade nas transações não são as únicas vantagens que o novo sistema vai oferecer. 

Leia também: Conheça o Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central

Até então, os pagamentos de contas são feitos via boleto bancário, cartões de débito e crédito, transações físicas ou até mesmo com dinheiro vivo, e as transferências bancárias são realizadas por meio de DOCs e TEDs. Nesse cenário, essas operações podem acarretar custos para o usuário, além de poder levar até alguns dias para serem concluídas. 

Neste post, você fica sabendo como o Pix vai funcionar para quem paga e para quem recebe, os agentes que operam no novo sistema do Banco Central e como ele funciona. Vem com a gente!

PIX imagem descritiva

O Pix para quem paga e para quem recebe

Velocidade

O Pix vem para revolucionar a velocidade com que os pagamentos são realizados no Brasil. Quando o Banco Central diz que o seu mais novo sistema é instantâneo, não é modo de falar: as transações bancárias pelo Pix acontecem em até 10 segundos.

Disponibilidade

Os pagamentos instantâneos vão poder ser realizados 24 horas por dia, todos os dias da semana e do ano, inclusive em finais de semana e feriados. 

Segurança

Segundo o próprio Bacen, o novo sistema é uma forma completamente segura e interoperável de pagamento, que vem para mudar a intermediação financeira do país. 

Outro aspecto de segurança que o Banco Central aponta é que o Pix substitui com tranquilidade a necessidade de dinheiro vivo em transações simples, como realizar compras no comércio, o que significa que os clientes não vão mais precisar carregar moedas e cédulas, diminuindo as chances de assaltos, por exemplo.

Conveniência

Em novembro deste ano, já vai ser possível realizar compras no comércio, pagar contas como água, luz, telefone e até mesmo impostos, e fazer transferências para terceiros. O Pix também vai funcionar para compras online, sem precisar de cartão de crédito.

Tudo isso vai ser possível a partir de QR Codes para concluir o pagamento e o melhor: em apenas alguns segundos e com a possibilidade de realizar as operações diretamente por um smartphone.

Leia também: Pix: QR Code Estático X QR Code Dinâmico

O serviço do Pix permite ainda que os tradicionais pagamentos em dinheiro, cheque, cartões de débito e crédito sejam substituídos. Isso reduz etapas na hora de efetuar o pagamento, o que otimiza a experiência de compra para o usuário.

No fim das contas, o Pix vai possibilitar muito mais praticidade e segurança, tanto para quem paga quanto para quem recebe.

Variedade de casos de uso

Com o Pix, é possível os seguintes tipos de transferências:

  • Transferências entre pessoas e/ou empresas;
  • Pagamento de bens e serviços em estabelecimentos comerciais e comércio eletrônico;
  • Transferências envolvendo o governo.

Fluxo de dados com informações agregadas

Com o novo sistema, é possível anexar, junto com a ordem de pagamento, informações relevantes à conciliação, o que facilita a automação e o surgimento de novos modelos de negócio.

Ambiente aberto

O sistema do Pix promove uma estrutura flexível e aberta de participação, com o objetivo garantir o acesso e o surgimento de participantes que possam oferecer serviços inovadores, que atendam às necessidades e expectativas do usuário final. 

Nesse cenário, existem duas modalidades de participação: 

Provedor de conta transacional

Instituição financeira ou Instituição de Pagamento autorizada pelo BC, que oferece uma conta transacional para o usuário final, que é uma conta de depósitos à vista, de poupança ou de pagamento pré-paga. 

Provedor de serviço de iniciação de pagamento

Instituição responsável por efetuar a iniciação do pagamento, sempre a pedido de um cliente titular de uma conta transacional, sem no entanto participar da liquidação financeira. De acordo com o Bacen, essa forma de participação está sujeita a uma regulamentação específica.

Conheça todos os agentes que operam com o Pix

Participante direto

Os participantes diretos são as  Instituições de Pagamento autorizadas a operar pelo Banco Central, como a Juno. No sistema de pagamentos instantâneos do BC, o participante direto oferece uma conta transacional para o usuário final e que, para fins de liquidação, é o titular da conta.

Participante indireto

É a instituição que também oferece uma conta transacional para o usuário, mas que não é titular da conta de Pagamentos Instantâneos no Banco Central nem possui uma conexão direta com o SPI (Sistema de Pagamentos Instantâneos). Esse tipo de participante utiliza os serviços de um liquidante no SPI com o objetivo de liquidar pagamentos instantâneos. 

Banco Central

O BC é responsável por gerenciar a base única e centralizada de endereçamento e a infraestrutura única de liquidação das transações, que vai funcionar 24 horas por dias. 

Pagador 

O usuário que vai realizar os pagamentos pelo SPI junto às instituições credenciadas pelo Pix.

Recebedor

É a outra ponta no fluxo das transações realizadas pelo Pix, sendo justamente quem recebe os pagamentos instantâneos.

Como utilizar o Pix?

Para realizar as transações do sistema Pix, vai ser preciso que tanto quem envia o dinheiro quanto quem recebe tenha uma conta, não necessariamente corrente, em um banco, uma instituição de pagamento ou em uma fintech. 

Chaves Pix

As Chaves Pix são a nova forma de identificar o seu endereço bancário. Por meio dessas chaves, o Banco Central reconhece sua conta no banco e valida suas transações bancárias. Mas o que são essas chaves e como isso funciona? São dados como telefone, e-mail ou CPF/CNPJ, que ficam vinculados aos seus dados bancários. Tudo isso fica registrado no DICT (Diretório de Contas Transacionais).

Leia também: Tudo sobre as Chaves Pix

As transações via Pix acontecem por meio de QR Codes Estáticos e Dinâmicos:

QR Code estático 

Esse tipo de QR Code pode ser utilizado em diversas transações. Ele pode ser usado para transferências entre duas pessoas, por exemplo. 

QR Code dinâmico 

O QR Code dinâmico é mais funcional para pagamento de compras, já que vai poder apresentar informações diferentes a cada transação, além de permitir que sejam incluídos dados adicionais sobre determinada transação.

Leia também: O que muda com o Pix, o novo sistema de pagamentos do Banco Central?

Em breve estaremos com o sistema instantâneo de pagamentos do Bacen disponível em nossa plataforma. O que promete mudar a maneira como são realizadas as transações financeiras no Brasil inteiro! A gente tá ansioso por aqui e você? ;D

Quer saber mais sobre o Pix e como ele vai funcionar na Juno?

Preencha o formulário abaixo e a nossa equipe entrará em contato!

Quer continuar essa conversa? Fale com a gente pelas nossas redes sociais @tamojuno 🤟