Materiais gratuitos

Vai começar um negócio com um amigo? Preste atenção nisso

Será que você e seu amigo tem o necessário para começar um negócio juntos? Veja no que você precisa prestar atenção para ter sorte nos lucros e na amizade.

Por Time Juno
Comecar_um_negocio_com_um_amigo_Preste_atencao_nisso
Tempo de leitura: 3 minutos

Dia 20 de julho é comemorado o dia do amigo. E claro, sabemos de histórias de pessoas que começaram um negócio com um amigo que deram muito certo, pois é bem normal ver ideias de empresas surgindo em uma conversa informal, nos lugares mais improváveis.

Também é bastante comum dividir os primeiros rascunhos e visões para um novo projeto com aquela pessoa mais próxima, e até convidá-la para entrar de cabeça na ideia com você. Esse compartilhamento de experiências, conhecimentos e vontade de empreender é capaz de levar muitas empresas para a frente. Mas trabalhar em sociedade exige cuidados, para que todos saiam ganhando e consigam crescer juntos.

Quando o assunto é o mundo dos negócios, não é raro ver melhores amigos que acabam tendo opiniões contrárias. Principalmente, por não saberem como debater ou encontrar soluções, perdem tanto a empresa quanto a amizade. Para que isso não aconteça entre você e seus sócios, separamos algumas dicas. Olha só:

Sócio ou parceiro de negócio? Qual o seu caso?

Em alguns casos, o papel do sócio não é essencial para a empresa. A figura de sócio deve estar presente em casos de divisão de investimentos, contribuição com capital ou por uma habilidade bastante específica. Se não é o caso do seu negócio, alinhe com seu amigo quais são as formas de colaborar com a empresa, mas em outro papel. Ele pode ser um parceiro ou funcionário do seu negócio, mas sem ter obrigatoriedades que dizem respeito ao dono.

Divida as responsabilidades

Não importa de quem foi o primeiro passo, quem deu a primeira ideia ou colaborou mais com o nascimento do projeto. Em uma sociedade, todos os aspectos da empresa devem ser divididos, incluindo os créditos, as conquistas e, é claro, as responsabilidades. Defina quem ficará responsável pelos departamentos administrativo, financeiro, comunicação e RH, quem será o portavoz e quem cuidará de fornecedores. É importante que cada um saiba o que deve fazer e não deixe o trabalho se acumular sobre a outra parte.

Tenha um contrato

Por mais que você seja próximo do seu sócio, é imprescindível ter tudo registrado em um contrato de sociedade, criado por um advogado que entenda do assunto. Assim, vocês garantem que nenhum problema aconteça. Se chegarem a um ponto “ou o negócio, ou a amizade”, fica mais fácil entender os deveres, direitos, responsabilidades e porcentagens de cada um se as informações forem previamente definidas em um documento oficial.

Seja franco em todos os momentos

Em uma amizade, já se espera bastante transparência e honestidade. Quando um empreendimento está envolvido, essa liberdade para conversar deve ser ainda maior. Combine com seu sócio-amigo que, independente do assunto, vocês poderão ser francos um com o outro. Numa sociedade, é importante que fique claro que as decisões são tomadas em conjunto. Se algo der errado, todos precisam saber ouvir e serem ouvidos (sem brigas e sem levar para o lado pessoal).

Colaborem sempre

Um sócio não pode estar presente apenas em eventos, divulgações ou naqueles momentos em que o cenário está favorável para a empresa. Tenham em mente que fazer parte de uma sociedade implica em trabalhar em conjunto para gerenciar crises, passar por situações turbulentas e, muitas vezes, repensar algum aspecto da empresa. Afinal, se for apenas para colher os frutos do trabalho e não colocar a mão na massa, não vale a pena ter um sócio.

Saiba se o dinheiro será suficiente

Nenhuma empresa lucra valores extraordinários durante os seus primeiros anos. O pró labore, inclusive, é um custo que acaba sendo abdicado em algumas situações, até que o empreendimento se estabilize no mercado. Converse com seu amigo, na hora de colocar o projeto em prática. Assim, vocês podem ver se têm condições de se sustentar e esperar que a empresa esteja com saldo positivo.

Não faça negócios somente com base na amizade

Trabalhar com quem temos afinidade é excelente. Mas, infelizmente, algumas amizades não conseguem estabelecer boas parcerias de trabalho. Antes de colocar seu empreendimento para funcionar, faça alguns freelas ou crie projetos autorais ao lado do seu amigo. Dessa maneira, dá para saber se vocês conseguem articular ideias, organizar planilhas e atuar de forma profissional juntos. Se o convívio de vocês for difícil nessas situações, entrar no mundo dos negócios pode acabar destruindo a amizade. Então, é melhor deixar as conversas e parcerias apenas para os momentos de descontração.

Você tem um sócio ou conhece uma empresa que deu certo em sociedade? Compartilhe a história com a gente! 🙂