CMV: como calcular o custo de mercadorias vendidas?

Foto de Tatiana Michaud
Por Tatiana Michaud
5 min de leitura
25/05/2020

O CMV, o custo de mercadorias vendidas, é o indicador responsável por determinar o lucro bruto de uma venda. Entenda sua importância e como fazer o cálculo desse custo!

É indiscutível que o aumento na conversão de vendas é o principal objetivo de qualquer negócio. No entanto, nem sempre ter uma boa taxa de vendas e faturamento é sinônimo de uma situação financeira necessariamente favorável. 

Por isso, é importante entender o peso dos produtos negociados sobre o lucro do negócio. Um indicador fundamental nesse processo é o CVM (Custo de Mercadorias Vendidas), que mostra os verdadeiros ganhos de uma empresa.  

Nesse sentido, é preciso considerar que um plano financeiro bem estruturado trabalha com a análise de dados reais sobre a saúde financeira de um negócio. Confira nesse post como funciona o conceito de CMV e a sua importância para o entendimento completo das finanças da sua loja!

CMV imagem descritiva

O que é CMV?

Por definição, Custo da Mercadoria Vendida consiste no cálculo que indica o valor gasto em uma mercadoria, incluindo o estoque. 

A partir desse indicador, é possível identificar quanto é investido em um produto para então analisar o verdadeiro retorno financeiro que ele traz à empresa e ainda se este ganho está cobrindo o valor gasto. 

O CMV é essencial para determinar o lucro bruto da venda, o que torna esse indicador um importante processo para uma gestão financeira detalhada e completa. 

O que é lucro bruto?

O lucro de uma venda, ou seja, o dinheiro adquirido em cada transação realizada em uma loja, pode ser classificado em dois tipos: bruto e líquido.

O lucro líquido representa a subtração de todos os gastos, envolvendo impostos e taxas, sobre o valor da venda. Já lucro bruto é responsável por subtrair do valor dos ganhos apenas o que foi gasto para a produção da mercadoria, que pode variar de acordo com a quantidade produzida.

Vale lembrar que o CMV calcula apenas o lucro bruto, já que não considera outros gastos da empresa além dos que foram investidos no processo de produção.

Como calcular o CMV

Para chegar ao CMV, deve ser feita a soma do estoque inicial, com as compras do mês, ou do período que determinou, menos o inventário ou estoque final. A fórmula vai ser a seguinte:

Estoque inicial + compras – estoque final = CMV

No caso de devoluções, tanto do cliente quanto da empresa, a transação também deve ser registrada no cálculo. Nesse cenário, são adicionados mais dois itens à conta: a devolução da compra pelo cliente e a devolução da venda da empresa para o fornecedor. A fórmula então no seguinte formato:

Estoque Inicial + Compras + Devolução de Compra – Devolução de Venda – Estoque Final = CMV

Preencha esse formulário e acesse a nossa calculadora gratuita de CMV:

•••

•••

O que não entra no cálculo do CMV

Conheça exemplos de despesas comuns a todo tipo de negócio que não são utilizadas para identificar o lucro bruto, pois não incidem sobre o custo das mercadorias:

  • Despesas administrativas (gastos fixos com telefonia, internet e aluguel);
  • Despesas operacionais (frete);
  • Despesas com vendas (comissões);
  • Despesas financeiras (juros sobre empréstimos);
  • Impostos sobre o faturamento (PIS/Cofins, IRPJ e ICMS).

Por que calcular o CMV?

Muito além de otimizar a gestão financeira de uma empresa, o cálculo do CMV também traz outras vantagens que podem ajudar o seu negócio a médio e longo prazo:

Economia de recursos

Descobrir quanto está sendo gasto para vender um produto, torna mais fácil identificar processos que podem ser alterados ou até mesmo eliminados para reduzir o custo de produção.

A partir do CMV também é possível determinar que se está cobrando um valor muito baixo em relação ao que é investido para produzir um produto, e então reajustar o preço para garantir um retorno justo.

Organização de documentos e finanças

Para calcular o CMV, é necessário manter registros de vendas e estoque em ordem, pois essas informações podem acrescentar dados importantes aos relatórios financeiros.

É importante lembrar que todos os setores da empresa estão conectados. Isso significa que a informação que é valiosa para uma equipe, também pode ajudar outra. O CMV, por exemplo, pode trazer dados relevantes ao controle de estoque e também  à equipe financeira.

Planejamento de investimentos

Quando o gestor conhece os gastos que são investidos na produção da mercadoria, é possível entender pontos que podem ser alterados para gerar mais retorno financeiro. Com mais lucro, a empresa passa a ter mais recursos para fazer investimentos e crescer.

Por mais simples que o cálculo do CMV seja, ele pode trazer informações muito relevantes para o negócio e ajudar todas a suas áreas a aprimorarem seus sistemas de atividade e organização.

Leia também: Ciclo e tipos de venda: como escolher o melhor modelo para sua empresa

Quer continuar essa conversa? Fale com a gente pelas nossas redes sociais: @tamojuno! ?