Meu negócio

10 tendências para o varejo em 2021

Se manter competitivo no mercado em 2021 não é tarefa fácil, mas o setor varejista do Brasil mostrou a que veio no ano passado, com um índice de crescimento de 3,4% em vendas. Para manter esse ritmo, separamos as principais tendências para o setor em 2021. Confira!

Varejo imagem descritiva
Tempo de leitura: 5 minutos

O ano de 2020 foi sem dúvida alguma desafiador para vários setores da economia tanto brasileira como mundial. A pandemia provocada pelo novo coronavírus mudou a forma de consumir, justamente por conta do distanciamento social recomendado pela OMS para conter a transmissão acelerada do vírus. Esse cenário transformou também a maneira de vender e com o varejo brasileiro isso não foi diferente. 

Assim como o e-commerce, o setor varejista do país surpreendeu com um crescimento em meio à crise econômica que o Brasil vem enfrentando desde o ano passado. Segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), as vendas no varejo cresceram 3,4%, porcentagem que configurou um recorde em agosto, sendo a quarta alta mensal seguida, após quedas influenciadas pela pandemia em março e abril.

Mesmo com esse crescimento, esse setor precisou lidar com períodos de portas fechadas em 2020, o que é já percebido também em 2021. Isso acontece por conta do aumento nos casos de COVID-19, que fazem com os municípios e estados determinem intervalos de restrição de horários de funcionamento e até mesmo lockdown por dias determinados. 

Essa nova realidade, ainda que temporária, atinge o setor comercial em cheio e, justamente por isso, foi essencial adaptar as formas de vender para garantir a sobrevivência no mercado. Para quem já vendia online, essa transição foi um pouco menos brusca, mas para o lojista do varejo físico, adaptar as vendas é fundamental para manter o negócio aquecido também neste ano.

Para te ajudar nessa missão, preparamos um artigo especial com as principais tendências para o varejo brasileiro em 2021. Vem com a gente!

Varejo imagem descritiva

Principais tendências do varejo para 2021

Como já deixamos escapar no início deste artigo, o comércio eletrônico tem ganhado cada vez mais destaque no mercado brasileiro, e esse fenômeno faz parte das mudanças nos hábitos de consumo, impulsionadas por essa nova realidade em que a sociedade vive. 

Apesar desse fato parecer aumentar ainda mais a competitividade do setor varejista, pode ser muito bem aproveitado quando pensamos no que o e-commerce tem para oferecer para o varejo tanto digital quanto físico. Por esse motivo, o comércio eletrônico faz parte das tendências que vão ser muito estratégicas para o seu negócio neste ano. Confira o que separamos para você:  

E-commerce

Com um aumento de 68,4% do e-commerce no Brasil, já ficou mais do que claro que o consumidor brasileiro se tornou mais conectado em 2020. Ao que tudo indica, mesmo com o fim da pandemia, essa é uma tendência de consumo que não deve mudar tão cedo. 

Justamente por isso, muitos negócios físicos passaram por uma adaptação para começar também a vender online. Além de uma estratégia como essa ajudar a manter as vendas do negócio, também vem como uma possibilidade de expansão quando o fluxo de vendas físicas voltar a se normalizar no país. 

Delivery

Se até então o delivery esteve sempre associado a restaurantes, foi uma outra mudança que o setor comercial observou em 2020, e que promete se manter como tendência para os próximos anos.

Segundo dados divulgados pela Ebit | Nielsen, 72% da população brasileira passou a usar aplicativos de delivery de restaurantes e padarias, mercado, farmácias, lojas de bebidas e até mesmo de compras menos convencionais, como vestuário e acessórios.

Omnichannel

O conceito de omnichannel surgiu do novo perfil de comportamento do consumidor, que busca muito mais do que uma compra na hora de escolher produtos ou serviços de uma loja, ele busca uma experiência. Isso significa que é preciso desenvolver um relacionamento mais estreito e assertivo com clientes e prospects nesse cenário.

Para ganhar destaque um e-commerce deve ser omnichannel. Essa estratégia significa a integração entre diferentes pontos de contato junto ao consumidor. Seu principal objetivo é garantir uma melhor experiência de compra, além de criar e desenvolver um relacionamento mais estreito com clientes e prospects

Na prática, isso significa integrar loja física e virtual em todos os aspectos:

  • Ferramentas tecnológicas;
  • Estratégias de marketing;
  • Treinamento dos funcionários.

Segurança digital

Com a  LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) em vigor, é fundamental que pautas relacionadas à segurança digital ganhem cada vez mais destaque e isso vai afetar as vendas online.

As medidas que os negócios devem implementar para garantir a segurança dos dados, tanto do cliente quanto de sua própria empresa, além da segurança das transações envolvidas são: investimentos em tecnologia para garantir o armazenamento seguro de dados; protocolos pautados em Segurança da Informação.

Leia também: Entenda porque a tecnologia da Juno é segura

Customer Experience

A experiência de compra representa um papel determinante no processo de retenção de clientes e, em tempos de distanciamento social, uma das principais tendências para manter o nível de atendimento ao consumidor é investir em Customer Experience, o já famoso CX.

Esse termo diz respeito à experiência de compra oferecida em todas as etapas que o seu cliente passa até realizar a compra e utilizar o seu produto, o que também inclui o processo de pós-vendas. É seguro dizer que o CX é o atendimento ao cliente na sua versão 2.0, com a função de não apenas entregar uma solução, mas fidelizar e criar uma boa experiência para o cliente.

Mobile commerce

Outra tendência do setor varejista que foi moldada pelos hábitos de consumo adquiridos durante a pandemia, foi um aumento exponencial de compras realizadas diretamente por dispositivos móveis como tablets e smartphones, por exemplo. 

Isso trouxe uma nova modalidade de venda, batizada de mobile commerce, que nada mais é do que a tendência de lojas de varejo e outros segmentos desenvolverem seus próprios aplicativos para a venda de produtos.

A popularização do mobile commerce, por meio de apps próprios ou mesmo de marketplaces, deve continuar crescendo também em 2021. 

Shop streaming 

O shop streaming, por sua vez,  conta com a tecnologia de transmissão ao vivo, como as lives de artistas famosos por exemplo, para realizar vendas de produtos. Desta forma, é possível apresentar vitrines e detalhes dos produtos oferecidos, como embalagens. 

Dentro dessa estratégia, além do desejo do consumo despertar por ser uma venda literalmente ao vivo, existe também o fator do artista em si ajudar a influenciar a compra.

BOPIS

O BOPIS, sigla para a expressão originalmente em inglês Buy On-line, Pick up In-Store, não chega necessariamente a ser um conceito novo de venda, pois já era possível realizar uma compra em um e-commerce e retirar o produto na loja física mais próxima, evitando assim o valor do frete e tempo de espera para que a encomenda chegue em casa.

No entanto, essa modalidade ganhou ainda mais força em meados de 2020 e promete continuar em ritmo de crescimento também neste ano.  

Realidade aumentada

A realidade aumentada parecia uma tecnologia mais presente no universo dos jogos do que no mundo das vendas. No entanto, em 2020, esse cenário começou a mudar com um aumento de vendas realizadas por meio de QR Codes.

Em 2021, esse tipo de tecnologia já não causa mais estranhamento na maioria dos consumidores brasileiros e vem com a promessa de ficar por muitos anos como um facilitador de pagamentos, além de funcionar como um link direto para sites, redes sociais, entre outros.

Novidades no mercado de meios de pagamento

Já que falamos sobre realidade aumentada e a possibilidade de receber pagamentos via QR Code, a 10ª tendência para o varejo em 2021 conversa muito bem com isso. 

Com a chegada do Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Bacen, essa dinâmica ganha muito mais força e torna a vida tanto do lojista quanto do consumidor muito mais fácil na hora de fechar uma venda. 

Com pagamentos realizados 24 horas por dia, todos os dias da semana e do ano, o que inclui feriados e finais de semana, a novidade do Banco Central veio para ficar, e ela já pode ser implementada no seu varejo, físico ou digital, de forma descomplicada. 

Preparamos um artigo para te ajudar a manter as vendas do seu varejo aquecidas com o Pix.

Alavanque as vendas do seu negócio com o Pix!

Preencha o formulário abaixo e a nossa equipe entrará em contato!

Quer continuar essa conversa? Fale com a gente pelas nossas redes sociais @tamojuno 🤟